Apae aposta em marketing para mudar imagem Giovani Ferreira De Curitiba A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Curitiba (Apae) está investindo no marketing social para tentar reverter a situação financeira e recuperar a credibilidade da entidade. No ano passado uma série de denúncias sobre irregularidades e desvio de verbas, que estão sendo investigadas pelo Ministério Público, abalou a estrutura funcional e administrativa da instituição. Com o objetivo de recuperar a confiança da sociedade e restabelecer as parcerias com a iniciativa privada, a Apae está lançando o projeto ‘‘Empresa que tem coração’’. A iniciativa consiste na busca de novos parceiros, que possam e tenham interesse em colaborar com a entidade. As empresas que participarem do projeto serão certificadas com um selo de identificação e reconhecidas publicamente pelo apoio social. Arno Glitz, presidente das Apae, explicou que a contribuição das empresas será definida, de acordo com cada realidade, a partir de um percentual em cima de seu faturamento. Entre as que já integram essa parceria estão A Tim Telepar Celular, Bosch, Copel, Auto Biz e Banco Alfa. As cooperações não se resumem ao repasse de dinheiro, mas também contempla a prestação de serviços. Atualmente a Apae possui uma dívida de aproximadamente R$ 500 mil. Parte dessa dívida está sendo parcelada e diz respeito ao INSS e ao FGTS. A entidade necessita, a curto prazo, R$ 250 mil. Professores e funcionários da Apae estão estudando a possibilidade de deflagar uma greve por causa do atraso dos salários. A decisão seria definida em uma assembléia realizada na noite de ontem. A direção da entidade disse que está fazendo o possível para colocar em dia a questão salarial, mas que isso ainda deve demorar algumas semanas.