|
  • Bitcoin 150.087
  • Dólar 4,9314
  • Euro 5,2249
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 18/04/2022, 18:40

Alimentação escolar de Londrina recebe R$ 5,6 milhões

Valor será utilizado para a compra de produtos direto do campo; oito cooperativas fornecerão alimentos para a rede municipal

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 18 de abril de 2022

Reportagem local
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) para 2022 receberá um investimento de  R$ 5.682.00,00 em Londrina. Isso representa um aumento de 73,24% no valor do repasse para a agricultura familiar, que, inicialmente, era de R$ 3,5 milhões. Com isso, foi possível duplicar o número de cooperativas que fornecem os alimentos, passando de quatro para oito.

Imagem ilustrativa da imagem Alimentação escolar de Londrina recebe R$ 5,6 milhões Imagem ilustrativa da imagem Alimentação escolar de Londrina recebe R$ 5,6 milhões
|  Foto: Vivian Honorato - N.Com
 

Agora, a Prefeitura de Londrina passa a aplicar 100% do valor do PNAE nos produtos da agricultura familiar inovando nacionalmente, visto que de acordo com a Lei Federal nº 11.947/2009, os municípios devem aplicar apenas 30% do valor repassado pelo PNAE na compra direta de produtos da agricultura familiar.

Para o prefeito Marcelo Belinati, o aumento no repasse traz diversos benefícios, como o apoio às famílias do campo, a entrega de alimentos de qualidade aos alunos da rede municipal de ensino, além do investimento de recursos na cidade e região e do estímulo ao desenvolvimento econômico e sustentável das comunidades. “São produtos feitos quase artesanalmente, de qualidade, produzidos pela agricultura familiar, que estimulam as famílias a permanecerem no campo e melhoram a qualidade da merenda servida para as crianças. São mais de 3.300 famílias beneficiadas com os quase R$ 6 milhões para a agricultura familiar”, explicou o prefeito.

PERMANÊNCIA NO CAMPO

Segundo o presidente do Coafas (Conselho de Administração da Cooperativa Solidária de Produção Comercialização e Turismo Rural da Agricultura do Norte do Paraná), Carlos Roberto Bento, a iniciativa vem favorecer o trabalho dos agricultores locais e ajudá-los a permanecer no campo. “É um projeto que a gente vem batalhando muito, porque vai manter as famílias em seus locais de origem, que é na lavoura, onde a gente sabe trabalhar."

Durante o anúncio, a secretária municipal de Educação, Maria Tereza Paschoal de Moraes, explicou que em 2019 foram aplicados 33% dos recursos do PNAE na agricultura familiar. No ano seguinte, 2020, teve início a pandemia de Covid-19 e as aulas remotas, o que afetou diretamente a área e por isso não houve investimentos. No ano passado, 2021, o município voltou a utilizar os produtos da agricultura familiar para a merenda escolar e investiu 22% do montante dos R$ 5.201.348,00, o que representou R$ 1.394.571,54.

De 2019 até o momento, eram quatro cooperativas cadastradas como fornecedoras de produtos. Agora, serão oito. São elas Coafas/Londrina-PR, Copacon/Londrina-PR, Copran/Arapongas-PR, Coocafat/Tamarana-PR. As outras são da região Estadual e Federal: AAFCPR/ Pitanga-PR, Cooacepa/Pitanga-PR, Coopafi/Realeza-PR, Caaf/Caxias do Sul- RS.

74 MIL MERENDAS POR DIA

Ao todo, a Secretaria Municipal de Educação fornece 74.324 merendas diariamente, entre alimentos para o desjejum, colação (manhã), almoço, lanche da tarde, janta para as crianças e janta para os alunos da Educação de Jovens e Adultos. Para isso, a SME conta com sete nutricionistas.

“É uma conquista utilizar 100% do recurso do PNAE em alimentos saudáveis. Não há como separar a questão da alimentação com a criança alimentada, porque sabemos que não é qualquer alimento que devemos coloca na mesa das crianças, mas precisamos qualificar e colocar alimentos saudáveis sem o uso de agrotóxico, e muitos produtos aqui tem o selo de orgânico. Nós contribuímos com a elaboração de uma lei para o controle alimentar, no sentido de ampliar os recursos para a compra de alimentos da agricultura familiar e hoje estamos muito felizes em vê-la sendo colocada em prática”, disse a vereadora Lenir de Assis.

CHAMADA PÚBLICA

De acordo com a diretora Financeira e de Compras da SME, Márcia Barioto, a execução dos 100% do recurso do PNAE em produtos da agricultura familiar será possível devido à publicação da Chamada Pública nº 01/2022. O objetivo foi a aquisição de gêneros alimentícios da Agricultura Familiar e do Empreendedor Familiar Rural, destinado ao atendimento PNAE.

Através do chamamento público, as cooperativas apresentaram um projeto de venda dentro da demanda que o município tem. Depois, os técnicos da SME fizeram um contrato com as cooperativas e elas entregarão os produtos diretamente nas unidades escolares. “Neste chamamento, classificamos primeiro as cooperativas da região imediata, pois elas têm preferência, de acordo com a resolução do FNDE, depois as da região do Estado e do país”, completou.

O PNAE é um programa do Governo Federal que oferece alimentação escolar e ações de educação alimentar e nutricional a estudantes de todas as etapas da educação básica pública. O governo federal repassa, a estados, municípios e escolas federais, valores financeiros de caráter suplementar efetuados em 10 parcelas mensais (de fevereiro a novembro) para a cobertura de 200 dias letivos, conforme o número de matriculados em cada rede de ensino.

****

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1