Uma pescaria de domingo acabou resultando na morte de seis pessoas, incluindo uma criança de dois anos, ontem pela manhã, na Estrada do Ganchinho, divisa entre o município de São José dos Pinhais e Curitiba. O operário Ismael Vigilato da Paixão, 27 anos, perdeu o controle do Uno, cinza, placas BGT-1120, quando cruzava a ponte sobre o Rio Iguaçu. Todos morreram na hora, vítimas de afogamento.
A estrada é sinuosa e de chão batido e a ponte não tem proteção lateral. A profundidade do rio no local é de aproximadamente 1,20 metro. O acidente aconteceu por volta das 10 horas e o veículo foi encontrado com as quatro rodas para cima.
Além do condutor, estavam no carro o casal Mauro Mendes dos Santos e Carla Adriana Navarro. Ela trabalhava como telefonista no Hospital Pequeno Príncipe. O serralheiro Gesu Batista Cordeiro, sua mulher, Adriana da Silva Cordeiro e a filha Mirela também estavam no veículo. Os adultos tinham idades entre 24 e 27 anos.
Todos eram moradores da Vila Cachoeira, localizada no bairro do Sítio Cercado, a poucos quilômetros de onde aconteceu o acidente. A cabelereira Jesus de Fátima Kobachuk, moradora do bairro há 21 anos, conversou com as vítimas ontem pela manhã, no portão de sua casa, pouco antes de saírem para o passeio.
Segundo ela, outros dois carros, com aproximadamente mais dez pessoas, seguiam o Uno em direção a um ‘‘Pesque & Pague’’ da região, onde fariam um piquenique e passariam o dia.
Ontem à tarde, parentes e amigos das vítimas compareceram ao Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba para reconhecimento dos corpos. O operário Jorge Elias Mendes dos Santos, pai de Mauro, contou que a sua mulher, Isabel Mendes dos Santos, estava no carro de trás e presenciou a morte do filho, da nora e dos amigos. ‘‘Ela chegou a retirar da água o corpo da criança que estava boiando, mas já não tinha mais vida.’’
Segundo testemunhas, Adriana, a mãe da pequena Mirela, arremessou a criança para fora do carro no momento da queda, mas não conseguiu salvá-la.
Parentes e amigos comentaram ainda que Ismael Vigilato da Paixão, condutor do automóvel, nunca havia passado por aquele trecho da Estrada do Ganchinho. ‘‘Ele não conhecia o caminho e se perdeu na curva’’, afirmava Jorge Elias, pai de Mauro.
Ontem no final da tarde, os seis corpos foram encaminhados para a Igreja Centro Comunitário São José, no bairro Umbará, onde estão sendo velados.