Muito mais do que transmitir uma aparência ‘‘clean’’ e ampla, coberturas e paredes brancas podem contribuir com o meio ambiente. Isso porque conseguem reduzir as ilhas de calor e o consumo de energia, bem como diminuir a emissão de gás carbônico.
O mercado avança na era da inovação tecnológica e lança novidades que trazem benefícios sociais e econômicos. Além, é claro, de vislumbrar a sustentabilidade. É o caso da tinta Nanothermic 1, desenvolvida pela empresa Nanotech do Brasil, especializada em tecnologias de revestimento térmico e acústico.
‘‘Trata-se de uma tecnologia de reflexão, que apresenta espessura três vezes maior do que as tintas comuns. A durabilidade também é muito superior, podendo chegar a 20 anos’’, explica José Faria, diretor-presidente da Nanotech Brasil.
Além dos benefícios já mencionados, ele destaca que o produto também protege as superfícies de fungos e bactérias e diminui em até 20% o ruído da chuva. É à base de água, tem baixo teor de compostos orgânicos voláteis (COV), não tem gases tóxicos e não apresenta odores na hora de aplicar.
O conhecido Lawrence Berkeley National Laboratory (CA, EUA) estima que para cada 100 metros quadrados pintados de cores claras são compensadas dez toneladas de emissão de CO2 por ano.
No que diz respeito ao conforto térmico, Faria afirma que o Nanothermic 1 reduz o calor externo em 50%. ‘‘No interior dos ambientes, é possível diminuir o calor em até 30%, reduzindo consideravelmente o uso de ar condicionado’’, observa.
Laudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas atesta que o índice de refletância do sol do Nanothermic 1 é de 90%, numa escala de até 100%. Além dos imóveis comerciais e residenciais, a nova tecnologia pode ser usada no armazenamento de grãos e auxiliar ainda no transporte de produtos, sendo aplicada nas lonas de caminhões.
Segundo o diretor-presidente, o conceito do produto foi desenvolvido nos Estados Unidos em meados da década de 1960. O Brasil desenvolveu a sua própria tecnologia em 2006 por meio da empresa Nanotech Brasil, em Santo André (SP).
Desde então, a novidade vem sendo comercializada Brasil afora. No Paraná, conforme Faria, é possível encontrar a Nanothermic 1 em Curitiba e Francisco Beltrão. A intenção, no entanto, é expandir a venda no Estado.
‘‘A construção sustentável pode ser até 15% mais cara, mas a manutenção chega a ser 30% mais barata. É preciso avaliar o custo-benefício’’, pondera. No mercado, o produto pode ser encontrado por aproximadamente R$ 9,50 o metro quadrado. ‘‘Estamos finalizando uma nova versão da tinta que será mais acessível ao consumidor, variando entre R$ 3,20 o metro quadrado’’, revela Faria.

Imagem ilustrativa da imagem SERVIÇO - O BRANCO A FAVOR DO MEIO AMBIENTE
| Foto: Foto: Divulgação
Coberturas brancas conseguem reduzir as ilhas de calor e o consumo de energia, assim como a emissão de gás carbônico