Valorizar peças antigas para decorar ambientes é uma tendência que vem ganhando força não só em residências como em ambientes comerciais.
No Bar Canabenta, em Curitiba, o conceito definido para o estabelecimento foi recriar um clima característico de antigos armazéns e vendas. Segundo Délio Canabrava, designer e proprietário do local, a decoração do espaço reflete a sua maneira de ser e outras referências resgatadas da época em que morou em uma fazenda no interior do Paraná.
Para adquirir peças vintage, Délio indica antiquários, depósitos de ferro velho, acervos de família, objetos trazidos de viagens e até mesmo os catadores de papel.
Na Cantina do Délio, também dele, a história de Curitiba está na casa de madeira de 1930, cujo projeto aproveita porão, térreo e mezanino. Segundo Délio, essa ambientação valoriza a memória, criando aconchego. "Os clientes encontram aqui um espaço de lembranças da infância", afirma.
Em Londrina, o Vilão Bar é uma referência para admiradores do design antigo. Cercado de pequenas coleções e peças antigas, o proprietário William Amador Bueno de Moraes veio de São Paulo para abrir um bar que fugisse do tradicional. "Inaugurei o Vilão no dia 19 de dezembro de 1977, na Rua Sergipe, que na época era a rua da delegacia. Comprei as mesas em Arapongas e para decorar fui atrás de objetos usados", relembra. No espaço misturam-se peças encontradas no bazar Anália Franco, em antiquários e até no albergue noturno da cidade, e pinturas feitas por William. "Há ainda objetos trazidos por amigos e clientes. Cada um que vem quer deixar a sua marca", conta.


Fotos: Fernando Cremonez e divulgação

Imagem ilustrativa da imagem Objetos que contam Histórias
As lamparinas feitas com latas decoram o Bar Canabenta, de Curitiba. Projeto da arquiteta Angela Canabrava Buchmann
Imagem ilustrativa da imagem Objetos que contam Histórias
Memória: foto da bisavó de Délio Canabrava, do Bar Canabenta, e placa do refrigerante Crush da Desmobilia Curitiba
Imagem ilustrativa da imagem Objetos que contam Histórias
A janela de demolição se transformou em mesa. A coleção de moedas pode ser admirada pelos fre-qüen­tadores do bar
Imagem ilustrativa da imagem Objetos que contam Histórias
A mala achada na rua guardava uma foto em seu interior, e foi parar na Cantina do Délio
Imagem ilustrativa da imagem Objetos que contam Histórias
Na Cantina do Délio, em Curitiba, o relógio de madeira fazia parte do acervo. Já o guarda-chuva foi esquecido no local e acabou incorporado. Projeto das arquitetas Angela Canabrava Buchmann e Silmara Souza Teles
Imagem ilustrativa da imagem Objetos que contam Histórias
No Bar Canabenta, placas nacionais e estrangeiras são presentes de clientes
Imagem ilustrativa da imagem Objetos que contam Histórias
Inaugurado em 1977 em Londrina, o Vilão Bar é famoso pelo clima intimista e decoração vintage. O gramofone foi adquirido pela internet. A caixa registradora foi comprada em São Paulo. A relíquia de 1919 estava esquecida no depósito de uma padaria
Imagem ilustrativa da imagem Objetos que contam Histórias
No Vilão, o projetor de filmes de 16mm. No passado, alguns privilegiados podiam assistir a filmes no local