A alvenaria estrutural com bloco de concreto é o sistema construtivo que toda construtora deverá conhecer para um futuro próximo. A afirmação é de Alex Maschio, engenheiro e gerente da Associação Brasileira de Cimento Portland/Sul(ABCP), que completa com o dado de que 58% das obras do programa ''Minha Casa, Minha vida'' utilizam este sistema.
''A construtora que não entender deste sistema em cinco ou dez anos não mais será competitiva.'' O gerente esteve semana passada em Londrina para apresentar à cadeia construtiva da cidade um projeto que visa reunir Sinduscons, entre outras entidades nacionais e locais, fabricantes, projetistas, prestadores de serviço, universidades, entidades e consultores melhorar as técnicas e a qualidade da construção da cidade e aumentar a competitividade de Londrina neste mercado.
Entre outras soluções construtivas que podem aumentar a competitividade do mercado com a alvenaria estrutural estão a parede de concreto moldado in loco e o concreto PVC. Todas estas soluções têm o fim de racionalizar e industrializar o canteiro de obras, explica Maschio. ''Na alvenaria estrutural, os próprios blocos substituem a estrutura convencional e a alvenaria faz o papel estrutural.''
Ao utilizar o concreto moldado no local e o concreto PVC, também é possível racionalizar a construção uma vez que o material já resolve a parte estrutural da obra. Agilidade, produtividade, limpeza da obra, economia em escala e redução de mão de obra são outras vantagens destes sistemas, cita Maschio.
Comunidade
O projeto da ABCP, chamado de ''Comunidade da Construção'', está presente em 14 polos em todo o Brasil e consiste em um curso de capacitação de 60 horas voltado a profissionais da construção civil, construtoras, engenheiros, arquitetos, gestores de obras, mestres de obras e estudantes da área, informa o gerente regional.
Entre outros objetivos, visa identificar dificuldades técnicas e de gestão no setor construtivo e propor soluções. Na opinião de Maschio, as deficiências do setor em Londrina são comuns a outras cidades. ''A gente identifica um grande problema que está ligado à gestão de obras, controle de qualidade, quais itens verificar em uma construção, como fazer o planejamento da obra, etc.''
Para que o curso seja realizado será necessária a parceria de cerca de 15 construtoras, além das entidades, sindicatos e engenharias e fornecedores junto à ABCP, explica o gerente regional. O encontro realizado semana passada teve justamente o objetivo de reunir estes atores. De acordo com Maschio, algumas construtoras de Londrina já demonstraram interesse. O próximo passo é mobilizar um grupo de trabalho.

Imagem ilustrativa da imagem IDEIA - Racionalização no canteiro de obras
A parede de concreto moldado in loco é uma das soluções construtivas que podem racionalizar e industrializar o canteiro de obras