Se o assunto é decoração e arquitetura, a revista Casa Claudia, da editora Abril, pode falar com maestria. Afinal, são 35 anos de uma história que acompanha de perto a evolução do mercado e os hábitos das famílias brasileiras. ''Uma das coisas mais divertidas de trabalhar em Casa Claudia é consultar os nossos arquivos e ver como morávamos nos anos 1970, 80,90...'', afirma o arquiteto Pedro Ariel Santana, diretor de redação da revista, no editorial da edição de janeiro.
Para falar sobre essa trajetória e contar como são os bastidores de Casa Claudia, Ariel Santana - que esteve em Londrina para participar do evento Design.exe da Universidade Norte do Paraná (Unopar) - concedeu entrevista exclusiva à Folha. ''Somos referência no mercado e isso implica em uma grande responsabilidade, pois afeta o consumo e a escolha das famílias'', destacou o diretor de redação, acrescentando que desde a primeira edição, em 1977, a revista procura solucionar as principais dúvidas na hora de decorar e organizar a casa.
A revista Casa Cláudia está comemorando 35 anos. Como avalia essa trajetória?
Casa Claudia é líder do segmento desde o primeiro exemplar. Ao longo desses anos, manteve a missão de ajudar as pessoas a morarem melhor, trazendo informações relevantes para ajudá-los em suas escolhas. De forma didática, procura solucionar as principais dúvidas na hora de decorar e organizar a casa. Além disso, a revista sempre valorizou o jeito de viver do brasileiro, mostrando o melhor de nossa arte, artesanato e design, sem esquecer, entretanto, de trazer as principais tendências internacionais. Além da revista mensal, nos últimos anos Casa Claudia se tornou uma marca presente em edições especiais temáticas, em livros, na versão para o iPad e em dois prêmios: Prêmio Casa Claudia Design de Interiores e Prêmio Planeta Casa.
Como avalia a influência que a revista exerce no mercado de decoração e arquitetura?
A Casa Claudia é uma referência para esse mercado. Apesar de ser feita para não profissionais da área, muitos arquitetos, decoradores, designers e empresários buscam informações na revista. Sabemos, por meio de depoimentos, que quando publicamos algum jovem profissional, em geral, a sua carreira decola.
A Casa Cláudia contribui para lançar tendências?
A revista não lança tendências, mas ajuda a amplificá-las. Nossa função é antecipar para o grande público algo que já está no ar, mas que ainda está restrito ao universo dos ''trend setters''. Mas isso implica também uma grande responsabilidade, pois sabemos que afeta o consumo e a escolha das famílias. Procuramos dar mais voz a tendências que tenham a ver com os nossos valores, como a sustentabilidade e valorização da cultura nacional.
E como são os bastidores de uma revista de decoração? Como é o dia a dia da sua equipe?
O dia a dia de uma redação de uma revista mensal varia muito conforme a época. É mais tranquilo no início do mês e mais ''nervoso'' na última semana, por causa do fechamento. Em geral, temos uma equipe de produção fotográfica que fica a maior parte do tempo na rua, visitando as casas ou viajando. Quando estão na redação, passam o tempo no telefone ou no e-mail recebendo e arquivando imagens de pesquisa. As equipes de texto e de arte passam a maior parte do tempo na redação, mas os repórteres também saem bastante para entrevistas.
Quantas pessoas trabalham na produção do material?
São 18 pessoas na equipe nacional. Cinco profissionais ficam nos cadernos regionais, que circulam mensalmente com a revista em São Paulo e Rio de Janeiro e esporadicamente em outros estados, sendo duas vezes por ano no Paraná. Além disso, temos mais três pessoas que fazem as publicações especiais, incluindo a Casa Claudia Luxo a cada 2 meses. Também trabalhamos muito com freelas - todos os fotógrafos, por exemplo.
Os profissionais são especializados no segmento?
Não. São jornalistas que se identificam com o mundo da decoração, do design e da arquitetura. Claro que depois de alguns anos na redação acabam se tornando jornalistas especializados. Entretanto, temos dois jornalistas que também são arquitetos (eu e o Aldi Flosi).
Como as pautas são definidas?
Fazemos pautas mensais, que normalmente sofrem uma revisão no meio do processo. A reunião de pauta é um dos momentos chaves, fazemos normalmente entre os dias um e cinco de cada mês. Todos da redação participam, inclusive a pessoa que faz o atendimento ao leitor. Depois de ouvirmos os desejos do leitor, cada membro da equipe pode sugerir suas ideias. Depois os editores e eu elegemos as chamadas mais vendedoras e elencamos a pauta do mês.
Quais os critérios adotados para escolher a matéria de capa?
As matérias de capa sempre são as que buscam atender um maior número de pessoas. Entre as mais vendedoras estão apartamentos pequenos, cozinhas, quartos e organização.
Como avalia o mercado de decoração e arquitetura no país?
Acho que hoje é um mercado maduro, muito diferente de 35 anos atrás, quando a revista começou. Temos acesso a um maior número de materiais e de produtos importados. As opções de compra são imensas.


Foto: Ricardo Chicarelli


Imagem ilustrativa da imagem ENTREVISTA - 'Nossa missão é ajudar as pessoas a morarem melhor'
| Foto: Ricardo Chicarelli
Pedro Ariel Santana, diretor de redação de Casa Claudia: ‘‘Somos referência no mercado e isso implica em uma grande responsabilidade, pois afeta o consumo e a escolha das famílias’’