O presidente da Volkswagen do Brasil, Herbert Demel e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Francisco Gros, assinaram quinta-feira, no Palácio dos Bandeirantes um contrato de financiamento de R$ 880 milhões para o projeto de modernização da fábrica da montadora em São Bernardo do Campo. A cerimônia contou com a presença do governador Mário Covas, que comemorou a volta dos investimentos para a região do ABC paulista. ‘‘O ABC está renascendo’’.
O total dos investimentos da Volks será de R$ 2,6 bilhões. O crédito do BNDES corresponde a 32% do investimento total. A Volks investirá R$ 1,01 bilhão com recursos próprios e captará o restante junto a bancos europeus e fornecedores. Na fábrica, a montadora pretende produzir um carro mundial e utilizar a unidade de São Bernardo como base exportadora.
Francisco Gros justificou o apoio do BNDES ao projeto da Volks, afirmando que as exportações que a montadora pretende alavancar a partir da fábrica do ABC serão importantes para gerar divisas para o Brasil. O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Luís Marinho, disse que está preocupado com a geração de empregos na fábrica. Segundo ele, a Volks não garante a manutenção das vagas criadas, conforme os trabalhadores forem se aposentando. ‘‘Nos próximos acordos, precisamos levar em consideração garantias como essas’’, disse o sindicalista.
O presidente da Volks respondeu à crítica, declarando
que a montadora tem ‘‘responsabilidade social’’ e que o aumento de competitividade da fábrica vai contribuir para a criação de mais empregos. Francisco Gros afirmou que concorda com Herbert Demel. ‘‘Emprego não se cria por decreto e sim pelo aumento da produtividade e da competição’’, declarou Gros.