O ano de 2011 deve terminar com resultados positivos para o mercado de veículos no Paraná. Os emplacamentos de carro já registraram um aumento de 8,11%, no acumulado até setembro. Os dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave/Paraná) apontam que desde o início do ano foram emplacadas 150.235 unidades, enquanto que até setembro de 2010 o número atingido foi de 138.971.
No caso dos comerciais leves, o aumento registrado de um ano para outro é ainda maior. Até setembro de 2011 foram emplacadas 44.626 unidades, contra 36.205 no mesmo período de 2010, um crescimento de 23,26%.
De acordo com um dos diretores da Fenabrave/PR, Marco Antônio Rossi, a expecativa é que o mercado de veículos encerre 2011 com um aumento de 6% nas vendas em relação ao ano passado. Pela projeção, o ano pode fechar com um volume de emplacamentos de 377.702 unidades, já que até dezembro de 2010 a marca foi de 356.323.
A expectativa, segundo o diretor, era maior - 8% de aumento -, mas ele avalia que o índice de 6% ainda está dentro do esperado e se mantém como um bom resultado. ''Temos algumas montadoras que entram em férias coletivas agora no fim do ano, por isso não devemos atingir os 8%. Mas o mercado está muito bom, continua aquecido'', explica Rossi.
Aquecimento que se torna ainda mais presente agora, com a chegada do fim do ano. Além disso, deve haver uma recuperação nos índices de emplacamentos, que no Paraná registraram queda de 13,04% de setembro para agosto. Foram 16.252 unidades emplacadas no último mês, contra 18.689 do mês anterior, de acordo com a Fenabrave/Paraná. ''O forte mesmo é em outubro, novembro e dezembro e o principal motivo é a expectativa do consumidor pelo décimo terceiro'', afirma Rossi.
Outro fator que pode estimular as vendas são as taxas de juros para financiamento. ''Há cerca de noventa dias a taxa era de 1,48% e agora está na faixa de 1,41%. Não é uma diferença muito significativa, mas só de falar já muda o astral do consumidor'', afirma Roberto Cremonez, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Veículos (Sincovave) no Norte do Paraná.
No caso dos veículos importados, tanto Rossi como Cremonez afirmam que a prorrogação da cobrança do aumento da alíquota do Imposto sobre Produtos Importados (IPI) para dezembro deve esquentar ainda mais as vendas neste período. Até que a medida entre em vigor, 15 de dezembro, a expectativa é de aumento na procura por parte dos consumidores.

Imagem ilustrativa da imagem Mercado aquecido