Astra
O Chevrolet Astra fechou o ano de 1999 como líder de vendas entre os carros compactos. Foram comercializadas 55.916 unidades de janeiro a dezembro, o que significa 45% do segmento, de acordo com a General Motors do Brasil. Do total, 26.866 unidades são da versão hatchback e 29.050 da opção sedã. Só em dezembro foram comercializadas 1.628 unidades: 741 hatchbacks e 887 sedãs. Para a GMB, o segundo colocado no segmento é a Renault Mégane Scénic, com 15.142 unidades vendidas em 99. O terceiro lugar ficou com o Volkkswagen Golf, com a venda de 14.939 unidades, seguido pelo Mercedes-Benz Classe A, com 9.831; e pelo Ford Escort, com 9.534. O Fiat Brava, lançado em setembro, teve a venda de 5.864 unidades até dezembro. A Peugeot vendeu 3.332 unidades do modelo 306, enquanto a Renault negociou 2.924 Renault Mégane, entre os modelos hatch e sedã.

Financiamentos
O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), José Carlos Pinheiro Neto, disse que as regras para liberação de financiamentos no Brasil precisam sempre ser claras. ‘‘A definição de quaisquer regras precisa ser clara e estável para que possamos administrar nossos negócios’’, disse, em resposta às recentes discussões sobre liberação ou não de financiamentos do BNDES para capital estrangeiro. ‘‘Eu questiono, por exemplo, a política industrial’’, polemiza. ‘‘A meu ver, cada um está fazendo a sua própria’’, completa. Ele explica que o dinheiro do BNDES foi utilizado para instalação de fornecedores ao redor da nova fábrica da montadora em Gravataí, no Rio Grande do Sul. Segundo ele, sem estes recursos seria difícil para os fabricantes de autopeças se instalarem neste complexo industrial.

Potência
Os motores de 2.2 litros e 16 válvulas do Vectra CD e da versão GLS com transmissão automática agora estão desenvolvendo 138 cv de potência máxima a 5.400 rpm, contra 128 cv a 5.200 rpm da opção anterior. A alteração vale para os veículos produzidos a partir de 10 de janeiro de 2000, com número VIN (de chassi) OYB134572 em diante. É a mesma potência de quando o modelo teve sua cilindrada aumentada de 2 para 2.2 litros, em abril de 98. A potência havia sido reduzida em maio do ano passado, para melhor enquadramento diante do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Como agora existem apenas duas classes desse imposto – 10% para os carros com motor de até 1.0 litro e acima disso, 25% – acabou o motivo para continuar com potência inferior à que o motor pode oferecer.

Linha 2000
Os clientes Mercedes-Benz não estão deixando os automóveis da linha 2000 da marca pararem nas revendas. Assim que chegam, os novos modelos já são vendidos, mesmo com aumento de preço em relação aos carros ano 1999. O movimento na Savana Veículos - revenda da marca em Curitiba - cresceu 40% devido à chegada da nova linha. O gerente de vendas da concessionária, Fábio Calomeno, revela que muitos consumidores não chegam nem a testar o carro antes de comprar. ‘‘Eles preenchem o cheque até mesmo antes do veículo chegar, para ter a garantia que será um dos primeiros a receber o novo lançamento’’, revela.