DaimlerChrysler aposta na recuperação da América Latina A recuperação dos mercados da América Latina e Ásia é a principal aposta da DaimlerChrysler na ampliação dos negócios mundiais de sua indústria automobilística. O grupo, formado pela alemã Daimler-Benz e pela norte-americana Chrysler, divulgou em Stuttgart, na Alemanha, resultados recordes obtidos no ano passado. Os números apontam para um lucro de US$ 10,4 bilhões e um faturamento global de US$ 151 bilhões, um aumento de 20% e 14%, respepctivamente, em relação a 98. ‘‘Nós planejamos atingir altas marcas de crescimento na América Latina e na Ásia’’, disse o presidente mundial da DaimlerChrysler, Juergen Schrempp, na divulgação anual dos resultados da companhia. Ele afirmou que está confiante na recuperação dos mercados latino-americano e asiático. O co-presidente do grupo, Robert Eaton, disse que a companhia espera obter uma participação de 25% na Ásia em 2006. Schrempp confirmou o interesse do grupo em ampliar seus negócios na região, reforçando os rumores de que a DaimlerChrysler estaria negociando a compra de uma montadora asiática. O executivo alemão também não descartou a possibilidade de o grupo negociar com a Peugeot a fim de ganhar espaço no mercado de automóveis de pequeno porte. Ao detalhar os resultados financeiros de 99, o diretor-financeiro do grupo, Manfred Gentz, observou que o nível de entendimento da DaimlerChrysler, é bastante pequeno, o que justifica a fome da companhia por novas aquisições. O grupo planeja investimentos de US$ 50 bilhões até 2002. Parte dos recursos - cerca de US$ 220 milhões - deve ser aplicado no mercado brasileiro, de acordo com informações já divulgadas pelo presidente da Mercedes-Benz no Brasil, Ben Van Schaik. Os investimentos no Brasil vão somar US$ 50 milhões até 2002.