Se a palavra em Paris é tecnologia, os carros-conceito merecem um destaque à parte. Prova prática da criatividade dos engenheiros, são eles os veículos que incorporam as últimas novidades de design, motor, combustível e conforto.
O Fusion, carro-conceito de porte médio da Nissan, surge para antecipar as linhas gerais do novo Primera, que deve ser lançado em meados de 2001. É pouco maior que o atual Primera e mais moderno também no interior, com um mostrador digital para os comandos de ventilação, navegação e áudio.
Entre as inovações, as maçanetas se ejetam da carroceria como uma gaveta de toca-CDs, os faróis e lanternas utilizam fibra ótica e câmeras de TV substituem os retrovisores. A iluminação interna tem cor adaptável ao gosto do usuário e os ocupantes do banco traseiro podem assistir a DVDs.
Já o PCC, da Volvo, traz estilo agressivo, incorpora um sistema avançado de chassi que detecta todas as reações do veículo e adapta o amortecimento de forma ideal. Baseado a partir do novo sedã S60 o protótipo da marca sueca tem rodas de 19 polegadas, motor de 300 cv e tração integral.
O destaque da Peugeot é o conceito Prómethée, que traz interessantes soluções para o ambiente interno e antecipa certas linhas do 307. Seguindo a tendência da marca, possui faróis amendoados, grade afilada e ampla entrada de ar. A linha de cintura é bem saliente, enquanto a traseira é quase vertical e abriga lanternas em forma de seta com dezenas de pontos luminosos.
Curiosamente, o modelo possui três portas laterais: uma avantajada como a de um cupê, para o motorista, e duas no lado do passageiro, sendo a traseira aberta tanto em arco como de forma corrediça.
O Citroen Osmose é um automóvel favorável ao usuário. Na verdade, suas inovações afetam os ocupantes e também os pedestres e pessoas ao redor. Com motorização híbrida de poluição zero em centros urbanos, ele transporta três pessoas na frente e outras duas em compartimento traseiro separado.