Agência Folha
De São Paulo
Depois de seis anos de crescimento consecutivo, as vendas de motocicletas no mercado interno caíram 4% em 1999, na comparação com o ano anterior. Foram comercializadas 441,5 mil unidades no ano passado, segundo dados divulgados pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas e Bicicletas (Abraciclo).
Já as exportações cresceram pelo quarto ano consecutivo. O mercado externo absorveu 32,5 mil motocicletas produzidas no Brasil, o que representa crescimento de 60% sobre 98.
Apesar do recuo no mercado interno, a Abraciclo considera o resultado favorável. Segundo Roberto Iquejiri, presidente da entidade, a indústria esperava um retrocesso maior, por causa da crise econômica pela qual passou o País no ano passado. ‘‘Superou as expectativas. Se compararmos com outros setores, a performance foi excelente’’, disse.
Segundo Iquejiri, as vendas por consórcio – 60% do total – foram responsáveis pela ‘‘estabilidade no mercado de motocicletas no ano passado’’.
A expectativa da entidade para este ano é vender 500 mil unidades. Essa era a projeção que havia sido feita para 99, sem considerar a desvalorização cambial, ocorrida há um ano.
LíderA Honda manteve a liderança isolada de mercado, ao vender 407,2 mil unidades, o correspondente a 92,2% do total de vendas internas. A empresa japonesa planeja investir US$ 45 milhões neste ano para modernizar a linha de produção.
A Yamaha, responsável por apenas 6,1% de participação no setor no ano passado, teve como seu carro-chefe de vendas a Crypton 105, com 11.971 unidades comercializadas.