Universidade Classe A
A UEL mantém a liderança entre as melhores universidades brasileiras. Continua a primeira do Sul do país, de acordo com o MEC
A Universidade Estadual de Londrina recebeu, um mês antes do vestibular de verão, uma excelente notícia que só poderá aumentar o orgulho daqueles que fazem parte desta relação de calouros: o Provão do MEC mais uma vez colocou a UEL entre as melhores universidades brasileiras - na verdade, a melhor da Região Sul, que foi a região com a média mais alta.
O Provão é aplicado todos os anos pelo Ministério da Educação e é feito pelos alunos do último ano dos cursos superiores. É uma maneira de avaliar a qualidade dos cursos, ao mesmo tempo em que o Ministério, através das provas, indica quais são os pontos mais importantes que os cursos devem conter em seus currículos.
Em 99, foram avaliados 10 cursos da UEL, dos quais sete tiveram conceito A – Administração, Direito, Engenharia Civil, Letras, Medicina, Odontologia e Medicina Veterinária. Os outros três cursos, Economia, Jornalismo e Matemática, receberam B.
A UEL foi a única instituição do Paraná que não teve nenhum C, D ou E. No Brasil todo, só tiveram desempenho melhor três universidades de grande nome – USP, UnB e a Unicamp.
O resultado já era esperado. Em 98 a universidade já tinha conquistado a melhor posição entre as da Região Sul, quando foi considerada a terceira melhor do país por conquistar, em quatro cursos, o triplo A – obtiveram a nota máxima também nos quesitos qualificação e carga de trabalho dos professores, avaliação não divulgada este ano pelo MEC.
Consolidando uma reputação que começou a ser construída em 1971, a UEL já formou, neste período, quase 35 mil profissionais, levando de volta à comunidade, com seu trabalho, o investimento que a sociedade faz para manter a instituição.
Além disso, a UEL é sinônimo de presença forte e direta na comunidade, através de ações em prol da cidadania e das atividades realizadas pelos órgãos suplementares e pelas atividades acadêmicas complementares, que resultam em benefícios para a comunidade da maior instituição de ensino do Norte do Paraná. (Leia mais sobre os órgãos suplementares na página 4 deste caderno)