Da Redação
O Detran está alertando os proprietários de veículos que continuam circulando com a antiga placa de duas letras (placas amarelas) que o prazo para a substituição pelas atuais, de três letras, terminou no último dia 31 de dezembro. Segundo levantamentos do Detran, pelo menos 147 mil veículos não foram recadastrados pelo sistema das novas placas no Paraná, mas isso não quer dizer que todos estão com a placa de duas letras. Muitos já podem ter saído do Estado ou não estão mais circulando.
O coordenador de Veículos do Detran, Marcos Tozin, lembra que através da Resolução 45/98 do Conselho Nacional de Trânsito foi determinado que o prazo terminaria em 31 de julho do ano passado. No entanto, como muitos motoristas não fizeram a substituição, houve a prorrogação. A placa de três letras foi implantada no Paraná em 20 de fevereiro de 1990, quando foi criado o sistema de Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam).
Neste período, as placas de três letras estão sendo colocadas nos veículos novos ou então é feita a substituição quando há transferência de proprietário, de município, pedido de segunda via de documentação ou quando há necessidade de alguma alteração nos documentos. Agora os proprietários de veículos precisam providenciar a substituição porque – desde o dia 1º – estão sujeitos a penalidades previstas no novo Código de Trânsito Brasileiro.
Segundo Tozin, circular com placa de identificação em desacordo com o previsto pelo Código é considerada uma infração média. A multa é de 80 Ufir, ou seja, R$ 78,16. Neste ano, o valor deverá ser maior porque a Ufir muda a cada ano. O carro será apreendido para regularização. Além disso, o proprietário do veículo passa a contabilizar quatro pontos no seu prontuário. Somando 20 pontos, a carteira de motorista é suspensa pelo prazo de até um ano.
Para providenciar a troca da placa, o motorista deve procurar o Detran ou um despachante de sua confiança. No interior, o proprietário do veículo deve procurar as Ciretrans ou os postos do Detran. É preciso apresentar todos os documentos do veículo, inclusive o recibo (CRV), aquele que só é usado na hora da venda.
O custo da substituição da placa consiste no pagamento da taxa referente a emissão dos novos documentos (R$ 28,87) e da troca da placa. Depois de uma vistoria, o motorista sai com os novos documentos e com a autorização para a confecção da placa, que não é de responsabilidade do Detran.