Detran reduz númerode veículos no seu pátio
DivulgaçãoDivulgaçãoDEPÓSITOO pátio do Detran em Curitiba guarda motos apreendidas por irregularidades. Ao lado: veículos abandonados nas ruas e apreendidos em blitze de trânsito aguardam por seu donosA realização constante de leilões fez com que o Detran reduzisse o número de veículos no pátio, em Curitiba. Atualmente, em média, 1.900 unidades estão disponíveis para serem retiradas por seus donos ou serão encaminhadas para leilão. O chefe da 1ª Ciretran, Valmir Moreschi, lembra que já houve épocas em que estavam no pátio até 4 mil veículos.
O Detran mantém Ciretrans (Circunscrições Regionais de Trânsito) em 87 municípios paranaenses e em todas estas cidades existe um pátio para recolhimento dos veículos. Moreschi explica que estes pátios pertencem ao Detran ou a Polícia Militar.
Os principais motivos para retenção de veículos no pátio são a falta de licenciamento, carro conduzido por pessoa não habilitada, falta de equipamentos obrigatórios, mal estado de conservação e segurança e motorista embriagado. Os veículos também seguem para o pátio quando são apreendidos em função de alguma outra irregularidade ou quando são encontrados por policiais, abandonados nas ruas da cidade.
Segundo Moreschi, 60% dos veículos são retirados do pátio por seus proprietários. Para isso, o motorista deve comparecer ao Detran com os documentos pessoais e os do carro, além de pagar as taxas devidas. A taxa de estadia custa R$ 7,22 (por dia) e a de remoção, R$ 21,95. Para retirar o carro do pátio também é preciso pagar as multas e o IPVA que estiverem pendentes.
Os carros que não são retirados pelos proprietários têm outro destino. Veículos roubados são encaminhados para a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos e os carros com bloqueio judicial ou administrativo têm a informação da apreensão repassada aos órgãos competentes. Todos os outros veículos, depois de 90 dias no pátio, entram em processo de leilão.