Damas da corrida esbanjam disposição


  Aos 64 anos de idade, Zilda Bezerra de Oliveira é a prova de que a idade não é impedimento para se dedicar à corrida. Ela percorre, no mínimo, 12 quilômetros (km) por dia, mas chega a correr cerca de 20 km às vesperas de participar de alguma maratona. E já foram tantas provas e maratonas que ela já perdeu a conta de quantos troféus já conquistou.
  A aposentada pratica a ativida há vinte anos e faz parte do Clube da Corrida desde o seu início, em 2006. Acorda todos os dias cedinho para correr antes dos afazeres domésticos e afirma que por onde passa surpreende e inspira novos corredores. ‘‘O povo não acredita que uma senhora de idade consiga correr assim’’, declara.
  Embora tenha saúde e resistência de ferro, ela ressalta que sempre correu com acompanhamento de um profissional e não deixa de fazer exames médicos frequentes. ‘‘Se estou correndo até hoje é porque sei o meu limite. Não invento de correr muito diferente e sempre vou no médico para ver se esta tudo bem’’.
  Nas corridas matinais e provas pedestres, Zilda conta com a companhia da também aposentada Maria José dos Santos Oliveira, a Mazé. Juntas as duas foram ao pódio da 29ª Maratona Internacional da Caixa, realizada há poucas semanas em Porto Alegre (RS). Zilda conseguiu um troféu de primeira colocada na sua categoria e Mazé faturou a quarta colocação.
  Ela tem 56 anos e aos 50, depois de ter fumado durante 22 anos, decidiu que era o momento de ter mais saúde. Mas quando parou com o vício Mazé acabou engordando e adotou a correr para perder peso. E conseguiu. Emagreceu 10kg e colheu muitos outros benefícios. ‘‘Mudou tudo, tenho mais disposição e não consigo mais me imaginar sem correr’’, afirma. (J.F.)

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo