Na selva de pedra e concreto que hoje se transformaram as grandes cidades, encontrar um empreendimento que alie conforto, beleza, segurança com uma paisagem verde e um bairro arborizado virou o sonho de muitas pessoas. Em busca de mais qualidade de vida, ar puro e áreas de recreação para seus clientes, algumas construtoras estão buscando ampliar esses espaços para além dos muros dos prédios. Essas melhorias permitem ampliar o relacionamento comunitário dos moradores que também vivem no entorno dos empreendimentos.

Um exemplo é a Praça Pé Vermelho, da Plaenge, entregue em 2010 no Alto da Gleba Palhano. Localizada em frente ao Jardins Eco Resort & Residence, ela foi idealizada porque a empresa tem o entendimento que "toda construtora ou incorporadora deve se preocupar com o bem-estar dos moradores do empreendimento e da região onde ele será lançado", explica a gerente regional da Plaenge, Célia Catussi. "Pensamos na época que a maioria das praças de Londrina não têm planejamento nem projeto arquitetônico, por isso quisemos trazer isso como um diferencial". A praça possui 28 luminárias em formato de araucária, pisos em petit-pavê, bancos de plásticos reciclados com aparência de madeira e 30 variedades de árvores e vegetação rasteira nativas de Londrina e região.

Com o retorno positivo dos clientes e moradores do entorno, a empresa já planeja a próxima praça, nomeada "Praça dos Pioneiros", que deve ser entregue no final do ano. "Hoje as pessoas querem sentar com o filho na grama, andar com o cachorro, correr, não ficar somente dentro do prédio. Queremos resgatar isso, essa qualidade de vida, e transformar Londrina em uma cidade melhor", diz.

No mesmo sentimento de resgatar espaços verdes, a construtora Artenge revitalizou uma área no mesmo bairro que tinha um pedacinho de mata nativa, às margens do Lago Igapó. "Quando foi feito o loteamento já tivemos essa visão, de preservar a mata, e isso há vinte anos, quando nem existia tanto essa preocupação ambiental", ressalta o diretor técnico da Artenge, Ozires Toloi. A empresa faz o Artenge Day a cada seis meses, onde os funcionários são incentivados a se integrarem por meio de palestras e atividades, principalmente focando em responsabilidade social. "Há dois anos, em uma das edições, fizemos a revitalização daquela área, que estava só com grama, plantando dezenas de mudas de Manacá. Toda a parte administrativa da empresa foi dividida em grupos, e esses grupos plantaram essas mudas. Virou o pulmãozinho da Palhano, muito conservado e bonito".

Como houve problemas com roubos de plantas e limpeza pública, a empresa cercou o mato, para evitar depredação, e faz manutenção regular da área. "Temos uma nascente de rio naquele fundo de vale, que deságua no Igapó. Tem água pura, e temos que preservá-la. Além do mais, aquela matinha ajuda a refrescar a região. Pode-se sentir diferença de até um grau em relação a outros pontos da cidade", garante ele.

A construtora Thá também acredita que ao desenvolver um empreendimento, esteja ele localizado em uma área já desenvolvida ou não, é papel da incorporadora analisar cuidadosamente a realidade de cada entorno onde a obra irá se inserir. "Temos a consciência de que ao construir um edifício não nos relacionamos apenas com o nosso cliente direto, mas também com os comerciantes do entorno, que terão mais clientes, com os vizinhos, que passam a conhecer de perto o trabalho de nossa incorporadora, assim como aqueles que simplesmente passam por aquele espaço. Sejam praças ou reformas estruturais, a preocupação principal deve ser sempre o conforto e necessidades daqueles que irão viver no local", afirma o gerente regional da Thá, Ricardo Kitamura.

O Grupo Thá está executando na região da Palhano intervenções como reformas na infraestrutura de esgoto, água pluvial e água. "Além de garantir o conforto no futuro aos moradores, valorizará todo o entorno por conta do benefício para toda a vizinhança. Além disso, é de vital importância respeitar a região e o entorno durante este processo de transformação, em busca de minimizar os efeitos durante uma grande obra", alerta.

Imagem ilustrativa da imagem Beleza e lazer para além dos muros
| Foto: Gustavo Carneiro
Entregue em 2010, a Praça Pé Vermelho já integra o dia a dia dos moradores do Alto da Gleba Palhano



Continue lendo:

- Uma fonte de presente para Londrina

- Novo conceito de bairro