Almofadas ganham status na decoração


Amanda de SantaEspecial para a FOLHA
Amanda de SantaEspecial para a FOLHA
O acessório pode ser usado nas salas de TV e de estar, quartos e até em áreas externas da casa, onde a peça exige tecido especial
O acessório pode ser usado nas salas de TV e de estar, quartos e até em áreas externas da casa, onde a peça exige tecido especial | Fotos: Anderson Coelho



Há tempos elas deixaram de ser um simples item de conforto e ganharam um novo status na decoração. De variados tamanhos, tecidos e cores, as almofadas ajudam a harmonizar os ambientes. Mas é preciso cuidado na escolha das texturas, estampas e quantidade. O tipo e o tamanho do cômodo devem ser levados em conta, assim como os tons de outros objetos do espaço.

A designer de interiores Loliane Andrian diz que as almofadas são a "cereja do bolo" do projeto de decoração. Detalhes que ajudam a dar o equilíbrio necessário aos ambientes e que devem "conversar" com quadros, móveis, tapetes e outras peças. Segundo ela, as almofadas conferem movimento e, principalmente, personalidade. Por isso, o gosto pessoal do morador conta muito na hora da escolha.

A profissional explica que o acessório pode ser usado nas salas de TV e de estar, quartos e até em áreas externas da casa. Neste último caso, o tecido deve ser especial e dá para apostar em estampas florais e cores mais alegres e vibrantes. Para os ambientes internos, o linho é considerado um clássico. Mas também há opções no tricô, renda, cetim, seda, chiffon.

Como é um item de decoração versátil e relativamente barato, é recomendável ter ao menos dois conjuntos de almofadas diferentes, um para o verão e outro para o inverno. Só com a troca das capas e tecidos já é possível conferir uma nova cara aos ambientes. No inverno, o aconchego e a sofisticação ficam por conta do veludo, pelos e pedrarias. No verão, as estampas e os tecidos mais leves ganham vez.

De acordo com Loliane, para escolher a quantidade certa é importante levar em conta o tamanho do sofá ou móvel em que serão colocadas, mas não existe regra. "Se o sofá é dividido em dois acentos, recomendo usar pelo menos quatro ou cinco almofadas", exemplifica. É necessário buscar simetria, equilíbrio, e ter bom senso. Se exagerar na dose, o ambiente pode ficar desconfortável e carregado demais.

As cores azul e verde escuros, assim como o preto, cinza, terracota e marsala estarão entre os destaques da estação
As cores azul e verde escuros, assim como o preto, cinza, terracota e marsala estarão entre os destaques da estação





TENDÊNCIAS
O veludo continua em alta em 2018 e dará o tom das almofadas e outros objetos de decoração no inverno, garantem as sócias-proprietárias da For Home, Denise Lima Castro, Elaine El Kadre e Edilene Scaff. As capas podem ser feitas totalmente com o tecido ou serem bordadas com ele. Elas afirmam que as cores azul e verde escuros, assim como o preto, cinza, terracota e marsala estarão entre os destaques da estação.

"O veludo dá um ar mais sofisticado e enriquece o ambiente", afirma Edilene, que recomenda o uso do material na sala de estar. Já o tricô leva aconchego e conforto para o quarto e a sala de TV. O linho é atemporal e pode ser usado sem medo em qualquer espaço da casa, tanto no inverno como no verão. Nas varandas, as empresárias orientam pela escolha de tons mais claros. Elaine explica que a maioria das pessoas gosta do azul escuro, porém, por ter contato frequente com a luz solar, o tecido pode desbotar.

Nas áreas externas, mesmo se o material for permeável, é recomendável retirar as almofadas em dias de chuva para garantir a conservação. Quanto ao formato, a variedade é grande, vai de 30 por 30 até 50 por 50 centímetros. A rineira, que oferece apoio nas costas, mede, em média, 30 por 50 centímetros. Mas o tamanho vai do gosto pessoal e do tipo de ambiente que se quer decorar. "É bom lembrar que almofadas muito grandes diminuem os espaços", avisa Elaine.

Quanto às estampas, ela conta que os londrinenses são tradicionais e preferem apostar em modelos atemporais e mais clássicos. Há aqueles que gostam de uma composição simétrica e outros que querem ter uma almofada diferente da outra. "Vai da personalidade de cada um", resume. O importante é levar em conta o contexto da decoração. É bom destacar ainda que as almofadas não conferem apenas cor aos espaços, podem ter a função de neutralizá-los também.

MANUTENÇÃO
A manutenção e limpeza dependerão da forma de uso e do tecido escolhido. O linho oferece bastante praticidade, por isso, é o preferido da maioria. A empresária Elaine El Kadre diz que ele pode ser lavado em casa mesmo. Já o veludo e os modelos de almofadas com recortes a laser requerem mais cuidados, devem ser lavados a seco, portanto, o ideal é procurar uma empresa especializada nesse tipo de limpeza.

A frequência das lavagens dependerá do uso. As almofadas da sala de TV, que é um espaço utilizado com mais frequência por todos os moradores da casa, devem ser limpas num intervalo de tempo menor que as da sala de estar, por exemplo. Para garantir a durabilidade do tecido e espantar a poeira, uma dica é usar o aspirador de pó no intervalo entre as lavagens.



Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo