Imagem ilustrativa da imagem Social - Thiago Nassif
Manuela Balarotti e Heloisa Cardoso comemoraram os aniversários com jantar, dias atrás. A advogada e a administradora mantiveram o astral nas alturas na noite, voltada a mais íntimos. As fotos de Bruno Ferraro mostram mais
Imagem ilustrativa da imagem Social - Thiago Nassif
Vivian Campanelli, Ana Pieroli e Pollyany Tottene Abdalla
Imagem ilustrativa da imagem Social - Thiago Nassif
Denise Balarotti, Renata Pereira Santaella e Bruna Jannani Pruner
Imagem ilustrativa da imagem Social - Thiago Nassif
Ahmad Abdalla, Francisco Garcia e Antônio Segantin


Decoração é como moda?

Reforma à vista? Achando tudo à sua volta ultrapassado? Hora de rever os conceitos. Quem explica é a arquiteta Dueni Duarte. Com escritório em São Paulo e dividindo-se entre os projetos por lá e em Londrina, sua terra natal, ela ressalta: decoração é como moda. "Hoje, nas casas, há peças supercontemporâneas, objetos de desejo das décadas de 1950, 1960 e 1970." Confira algumas dicas.

A volta dos cobogós
"A maioria das tendências que fizeram sucesso no passado voltam. Um exemplo clássico: os elementos vazados. Criados em Recife (PE) há quase um século, os cobogós, como são conhecidos, eram feitos de cimento. Hoje, vêm em diversas formas, como vidro, cerâmica e madeira."

O que entra
"Atualmente usamos muitos revestimentos de parede. Estão em voga papéis, tecidos, palhas, pinturas, adesivos, entre outros. Esses materiais vestem o ambiente e dão sofisticação, aconchego e
bem-estar."

O que sai
"Antes muito usado, o grafiato saiu de cena em ambientes internos. Hoje ainda usamos, mas para revestimento de paredes externas, muros, prédios
e afins."

Móveis retrô
"Os móveis retrô estão em alta, em especial em alusão aos anos 60 e 70. Atenção: as peças estão em alta quando transformadas em releitura de móveis atuais. Vale frisar que nada está em desuso, cada casa, cada estilo, tudo pode ser usado e reaproveitado, de modo que converse com o restante do ambiente. Em muitos casos, móveis antigos reformados são o charme de um ambiente descolado. Mas temos de tomar cuidado: se a peça antiga não tinha charme antes, não é porque será pintada de amarelo que terá."

Voluntariado

Agasalhos arrecadados durante a campanha "Aquecendo em tempo de frio", promovida pelo Colégio Londrinense, foram entregues nas últimas semanas. A ação, que integrou mais uma etapa do projeto "Voluntariado: Dons e Talentos em Ação", foi destinada à Guarda Mirim, ao Meprovi e ao Ilece.



Copa de perto

Isabella Terrin esteve em São Paulo na última semana. Ela assistiu com o pai, o empresário Job Terrin, à partida que classificou a Argentina para a final da Copa do Mundo, na Arena Corinthians. Na ocasião, como todos bem lembramos, os "hermanos" tiveram mais sorte que na final.


Para sempre Metallica!
O último domingo não se resumiu somente à conquista dos alemães na Copa do Mundo. A data, 13 de julho, marcou, no calendário, o Dia Mundial do Rock. Por falar no gênero musical, um londrinense sintetiza a paixão, particularmente, por icônica banda: o Metallica. Fã dos músicos desde 1985, quando tinha 9 anos, Pedro Augusto Vantroba estabeleceu, há cinco, meta ambiciosa. E segue à risca. "Desde 2009 estabeleci uma meta de assistir a pelo menos um show do Metallica por ano. Até agora venho cumprindo" afirma, aos risos. Para saber um pouco mais sobre essa mania de Metallica, a coluna falou com o advogado, que recebeu a FOLHA em sua casa.
Imagem ilustrativa da imagem Social - Thiago Nassif
Pedro e sua "Francisca": ele ganhou a guitarra do Metallica em San Francisco, nos EUA, após ter participado de todas as noites de comemoração dos 30 anos da banda, em 2011
Quais as maiores loucuras que fez para acompanhar a banda? Sem dúvidas, a maior "loucura" foi, aos 13 anos, sair de Curitiba, onde morava, de ônibus, na madrugada, para assistir ao último show do Metallica em sua primeira turnê brasileira. Isso foi em 7 de outubro de 1989, no Ginásio do Ibirapuera. Jamais havia estado na cidade de São Paulo. Fui sem meus pais terem conhecimento, acobertado por um amigo. Não tinha ingresso, pois imaginava que poderia comprar na hora, afinal "ninguém conhecia o Metallica mesmo" (risos). Não assistiu ao show, certo? Exato. Chegando ao Ibirapuera, me deparei com uma fila enorme e não pude nem comprar ingresso pela idade, até porque estava desacompanhado e não poderia entrar de qualquer forma. Fiquei do lado de fora do ginásio e ouvi o show todo de lá, chorando algumas vezes por imaginar que meus ídolos estavam lá dentro e eu não. Esperei terminar, literalmente o local esvaziar para aí então seguir para a rodoviária e voltar para casa. Considera-se um dos maiores fãs da banda? Não sei se sou um dos maiores fãs da banda, até porque o Metallica tem muitos fãs ao redor do mundo totalmente insanos pelo grupo, que chegam a acompanhar turnês inteiras. Mas posso garantir que sou um dos mais fiéis, afinal são quase 30 anos de dedicação. O que o seu acervo destaca? A coleção é grande, inclusive com itens autografados pela própria banda na minha frente. Alguns exemplos? Tenho todos os álbuns de estúdio, EPs e singles oficiais, vários vinis, inclusive edições especiais, livros, VHSs, DVDs, BluRays, boxes especiais, camisetas diversas, todas as edições da revista oficial do fã-clube mundial da banda. No meu acervo, também aparecem os requisitados FanCans - pacotes feitos exclusivamente para membros do Metallica Club; palhetas de todos os shows que assisti pessoalmente, minha bandeira brasileira personalizada com o nome da banda e autografada por eles. E mais: a baqueta que o baterista Lars Ulrich me deu em Sacramento, nos EUA, após ter encontrado a banda no backstage; e, principalmente, minha "Francisca", a guitarra que ganhei da banda em San Francisco, após ter participado de todas as noites de comemoração dos 30 anos da banda, que aconteceu na segunda semana de dezembro de 2011 no lendário The Fillmore, somente para convidados. Qual seu álbum favorito? Pra mim não há um álbum favorito, até porque depende muito de cada época da minha vida. Mas posso dizer que o segundo álbum, "Ride The Lightning" tem um lugar especial para mim por ter sido o primeiro que ouvi da banda. E a canção favorita? Da mesma forma que com os álbuns, não há uma só canção favorita. São várias as prediletas. Mas a primeira que ouvi tem sua especialidade justamente por isso. E é "For Whom The Bell Tolls". A quantos shows assistiu e em quais países esteve? Este ano completei 19 shows assistidos. Se contar o de 1989 que fiquei para fora, seriam 20 (risos). Já vi shows no Brasil, Estados Unidos, Argentina, Chile e Paraguai. Para estar presente em tantos momentos especiais, se planeja com muita antecedência? Geralmente acompanho os anúncios das turnês, que são feitos com cerca de três meses de antecedência das datas dos shows. A partir daí, vejo as possibilidades e começo a planejar as viagens. Agora, para ocasiões especiais, já agendei viagens com três, dois dias de antecedência. Quais seus próximos projetos, como fã da banda? Desde 2009 estabeleci uma meta de assistir a pelo menos um show do Metallica por ano. Até agora venho cumprindo (risos). Então, no mínimo seria isso. Mas também estou esperando o lançamento de um novo álbum para voltar a vê-los nos Estados Unidos, pois lá os shows de arena - ou ginásio, como conhecemos por aqui - são diferenciados e, literalmente, espetaculares!


O case da discórdia

A Moschino apresentou cases de iPhone com a logomarca do McDonalds, na Semana de Moda de Paris, e o sucesso foi instantâneo. Comercializados a cerca de 150 reais, na Europa, os cases esgotaram em menos de 12 horas. Feitos sob medida para o sucesso nas redes sociais, os acessórios causaram estranheza em muitas entidades que lutam contra a obesidade. Para representantes dessas entidades, os acessórios fazem alusão à comilança desenfreada e ao fast-food. Polêmicas à parte, a marca italiana firmou acordo para doar parte da renda para projetos sociais do Instituto Ronald McDonald e conseguiu o que queria. Barulho, polêmica e, claro, altas vendagens.


Neste 20 de julho….
Imagem ilustrativa da imagem Social - Thiago Nassif
O que Bruna Martins, Mariana Gonzaga e Renata Ferraz Caram têm em comum? Afinidade à prova do tempo. Melhores amigas, as londrinenses são o retrato da alegria neste 20 de julho, Dia Internacional da Amizade. O trio posou para as lentes de Bruno Ferraro, em sessão de fotos na Central de Decorados da Plaenge e falou com a FOLHA.
A amizade segundo Bruna "Somos amigas e cúmplices há 11 anos. Os ingredientes são respeito, sinceridade e muita afinidade." Conforme Mariana "Para manter uma amizade de tanto tempo precisamos ter muita paciência também. Cada uma tem seu jeito, seus gostos e suas particularidades. Tentamos nos encontrar com frequência." Nas palavras de Renata "Nossos encontros acontecem no mínimo uma vez por semana. Estamos sempre nos ajudando. Tomamos as dores se preciso for e torcemos para que cada uma realize aquilo que sempre sonhou." Os planos de Bruna "Quero finalizar a faculdade de Psicologia, me especializar e ter minha clínica. Além disso, me dedico à produção de peças com bordados exclusivos. As técnicas aprendi com minha mãe, que me ajuda até hoje." Os projetos de Mariana "Me formei há dois anos em Jornalismo e nesse tempo trabalhei na TV. Me dediquei a um curso fora e voltei com ideias renovadas. Hoje, meu foco é a área de assessoria de comunicação." Os novos ares de Renata "Sou formada em Direito há dois anos e não estava muito satisfeita trabalhando nessa área. Sempre gostei e tinha como hobby trabalhar com arts & crafts. Então este ano foquei nisso. Meus planos são cursar Design de Interiores e futuramente abrir um ateliê"


Influência musical

Londrinenses podem fazer sucesso, nas recepções mais próximas, se convidados para a performance musical.

Thelma Eliza Garcia Ferreira, por exemplo, integrou banda por muitos anos. Ela é médica por formação.

Weber Leite Filho integrava a banda Vitrola de Bolso.

Rafael Gustavo Pereira formou a Black Bis, com Renan Quenca. As especialidades de Rafael? Voz e violão.

Já o urologista Farid Libos Junior é conhecido, de longa data, pela intimidade com o universo musical.

Verão 2015

Feira Atacadista de Moda Pronta Entrega, a Expovest acontece de 27 a 29 próximos, em Cianorte. Em evidência, o que será tendência para 2015.


Imagem ilustrativa da imagem Social - Thiago Nassif
Na beleza de parar a cena, a modelo curitibana Anthonella Thá clicada durante lançamento de coleção pilotado pela Valentino, na capital paranaense


Vivas a Luciana

Luciana Alduan Fazoli comemora 15 anos neste domingo.

Vivas a Silvana

Hoje o dia é de festa, também, em torno da empresária fashion Silvana Macarini.

Vivas a Francisco

Nayanna Romero e o marido, João Tavares de Lima Neto, puxaram a salva de piques para o filho e aniversariante, Francisco, nas últimas horas.

Antecipação é tudo

Já tradicional no calendário londrinense, a Festa da Indústria tem data definida para 2015, em Londrina: 29 de maio.

Espelho, espelho meu...

Os lançamentos não param, as tendências são tantas... Mas, afinal, qual o corte de cabelo da vez? E nos lábios, em quê apostar? Com as respostas, um expert no assunto: Junior Martinelli. Confira.

- Cabelo
"Um dos cortes mais imitados de 2014 está sendo o médio no ombro, de Jennifer Aniston. Todas querem o corte, que está em alta."

- Batom
"Em relação aos batons, os tons de boca e nude não vão cair tão cedo. O rosa está sendo muito usado. Vermelho e vinho estão em voga. Vale lembrar que quem dita o moda de cabelo e lábios é seu estilo. Então, para aderir a esta ou aquela tendência, crie seu estilo. Depois, se jogue na moda."



Por trás de uma frase no Twitter...

Há um excelente jornalista. Comentário de profissionais de comunicação: a seleção alemã cativou, conquistou a torcida brasileira durante a Copa do Mundo, mas, verdade seja dita. "Por trás de cada postagem dos jogadores e ação divulgada na web, havia uma assessoria de imprensa monitorando e preparando tudo. Se ter carisma é bom, ser lapidado, é, no mínimo, arrebatador."


Imagem ilustrativa da imagem Social - Thiago Nassif
Gabrieli de Carvalho Rigieri festejou os 15 anos com recepção pensada nos mínimos detalhes. Pontos extras para a decoração, assinada pelo maringaense Beto Burim e para a personalização, com plaquinhas, plotagens e adesivo de pista. Na foto, a aniversariante aparece entre os pais, Audinei e Maria de Lourdes Rigieri