Imagem ilustrativa da imagem Mais Jesus, menos PT
| Foto: Shutterstock

Na manhã do último sábado, três famosos socialistas londrinenses compareceram ao Calçadão da Avenida Paraná. Eram poucos, mas tinham um objetivo claro: prestar culto ao seu Grande Líder, que se acha preso por corrupção e lavagem de dinheiro em Curitiba. Acreditam eles, os três companheiros, que o Líder será solto em breve. Acreditam, também, que o presidente eleito pelo voto popular vai cair e a esquerda voltará ao poder, não apenas em Brasília, mas igualmente em Londrina.

Eis o que os socialistas desejam: Lula e Zé Dirceu no poder, Bolsonaro e Moro na cadeia. Para conseguir tais façanhas, lutam por diversos meios. Na escala federal, uns tentam derrubar o ministro da Justiça com mensagens roubadas e adulteradas. Na escala municipal, outros usam a velha estratégia que um dia funcionou: infiltram-se na nossa amada Igreja Católica. Os métodos são diferentes, mas o objetivo é o mesmo: a conquista do poder. No Brasil, no Paraná, em Londrina. Eu não estou dizendo por ouvir falar; estou dizendo porque já fui um deles, e sei como o Partido age.

A Igreja me salvou do socialismo. De Leão XIII a Francisco, todos os papas condenaram a ideologia socialista como perversa e contrária à fé cristã. Mas o meu principal guia na luta para libertar-me do socialismo foi São João Paulo II, que considero o maior homem do século XX.

As diferenças entre o cristianismo e o socialismo são evidentes. O cristão reparte seus bens entre os próximos; o socialista reparte os bens dos próximos entre os seus. O cristão acredita em caridade; o socialista, em justiçamento social. O cristão quer promover o bem comum com livre mercado e direito à propriedade; o socialista quer promover o bem comum com impostos para os empresários inimigos e privilégios para os empresários amigos. O cristão quer igualdade de direitos; o socialista quer igualdade de resultados. O cristão quer o bem com liberdade; o socialista quer os bens na marra. O cristão prega a harmonia entre as classes sociais; o socialista prega a guerra entre as classes sociais. O cristão quer que os ricos ajudem os pobres; o socialista quer que os pobres destruam os ricos. É por todos esses motivos que o cristianismo leva para o Céu e o socialismo leva para a cela.

Preocupados com a situação em nossa Arquidiocese, os principais líderes da sociedade civil londrinense enviaram na semana passada uma carta ao Núncio Apostólico do Brasil, Dom Giovanni D’Aniello, pedindo providências contra o aparelhamento político da Igreja local. Em tom respeitoso e firme, as lideranças locais clamam por uma Igreja livre da ideologia que tanto mal já causou a Londrina e ao Brasil. A carta já conta com 2 mil assinaturas. Você também pode assinar pela internet.

Resta evidente que Londrina, uma cidade valente e briosa, não quer a nossa amada Igreja Católica ocupada pelo socialismo. Mais Jesus, menos PT!