VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Quinta-feira, 20 de Julho de 2017
Folha Mais
15/04/2017

Trabalhar as emoções dá trabalho

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

As emoções são bem-vindas. Apesar da ditadura da felicidade a todo custo - de comercial de margarina - dizer que não, restringindo os sentimentos a apenas um: alegria.

"Sentimentos como alegria, tristeza ou raiva precisam ser processados. Isso dá trabalho e o que a medicalização quer é nos tornar mais dóceis. Existe um outro ponto importante. As pessoas também podem estar adoecendo mais porque estão indiferentes às emoções", afirma a psicóloga Eliana Louvison.

Se você ainda não está vendo uma luz no final do túnel, como acendê-la?

A psicóloga esclarece que, no mundo atual, é quase impossível não ser levado pela onda de busca pela eterna felicidade. O que não passa de uma enganação, que pretende colocar todos nós embaixo deste mesmo teto.

"Não podemos ser ingênuos. É preciso fazer um movimento de resistência. Algumas pessoas vão conseguir assumir um jeito diferente de viver, mas se preparem para ser discriminadas", destaca Eliana.

A terapeuta acrescenta que nem todo mundo até os 30 anos terá se casado, terá uma prole, casa própria, carro na garagem e fará um cruzeiro pelas Ilhas Gregas todo ano.

"É preciso pensar em reduzir o consumo, voltar a escutar, porque estamos muito visuais. Falar mais ao telefone com os amigos, meditar não como uma coisa institucionalizada, mas ficar consigo, pensando no que faz aqui e agora. Prestar atenção em si, não viver de expectativas. Querer menos para trabalhar menos e ter tempo para você", orienta Eliana. (F.L.)
NOTÍCIAS RELACIONADAS
CONTINUE LENDO

A emoção que vem da música

Pianista fala sobre como os sons podem influenciar nossos sentimentos em diversos momentos

O bê-a-bá da saúde emocional

Pais e professores devem incentivar as crianças a lidarem com os sentimentos desde cedo. Entidade oferece diversos programas de capacitação

'É preciso olhar com os olhos do cliente'

Estudiosos do comportamento humano pesquisam como as pessoas podem comprar mais e melhor. Entre os sentidos que mais influenciam no consumo estão a visão e a audição - e em alguns casos o olfato

PENSAR MAIS

"A maioria das situações de trabalho é envolvida por relacionamentos. Desta forma pessoas com habilidades como assertividade, empatia, pró-atividade e gentileza têm mais chances de obter o sucesso"

Fortes emoções

Empatia, raiva, ciúmes, medo. Aprender a controlar as emoções e usá-las a nosso favor depende do amadurecimento emocional. Confira alguns filmes que mostram como saber administrar os sentimentos podem mudar o destino de um personagem

Assine a Folha de Londrina
EDITORIAS
PolíticaGeralMundoCidadesEconomiaEsporteFolha 2OpiniãoFolha MaisEleições 2016Índice de Notícias
SEÇÕES
ChargeColunistasIndicadoresTempoHoróscopoEdição DigitalGaleria de FotosClassificadosCadernos EspeciaisPromoçõesLoteriasVídeos
SEMANAIS
Folha GenteCarro & CiaImobiliária & CiaSaúdeEmpregos & ConcursosFolha CidadaniaNorte PioneiroMercado DigitalFolha RuralEspecialCozinha & Sabor
CLASSIFICADOS
VrumLugar CertoFolha ClassificadosDiversos
SERVIÇOS
ComercialArquivoCapa do ImpressoExpedienteFale ConoscoClube do AssinanteAviso LegalPolítica de PrivacidadeTrabalhe ConoscoQuem SomosGuia GastronômicoAssine Já!
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados