VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Folha 2
11/11/2017
MULHER QUE VIRA A MESA

Musa do Carnaval do Rio, curitibana volta à cidade natal

Musa do Carnaval do Rio, cantora curitibana Mariana Guedes volta à cidade natal com o show 'Desconstruindo Amélia'

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Diogo Melo/ Divulgação
Diogo Melo/ Divulgação - Mariana Guedes: show marcado pela identidade das mulheres que fazem parte de sua vida
Mariana Guedes: show marcado pela identidade das mulheres que fazem parte de sua vida


Curitiba – A mulher que "disfarça e segue em frente, todo dia até cansar", sai de cena, para a chegada da que "vira a mesa, assume o jogo e faz questão de se cuidar". Composta por Pitty, a canção "Desconstruindo Amélia" é também a música tema do show que a cantora Mariana Guedes faz nesse sábado (11), às 19h30, no Auditório Antonio Carlos Kraide, antigo Centro Cultural Portão, em Curitiba. Na apresentação, um misto de Rock e MPB, essa curitibana de 29 anos, que há quase dez se mudou para o Rio de Janeiro, retrata o poder e a força das diferentes "Amélias" que passaram por sua vida.
PUBLICIDADE

"É um show que fala sobre várias mulheres, várias situações que as mulheres vivem, o que escuto que elas falam – a minha mãe, minhas tias e primas... Cada música é sobre uma história que eu já ouvi. A maioria – não todas – são composições de mulheres ou com participação de mulheres", contou Mariana, em entrevista à FOLHA. "Desconstruindo Amélia' está no repertório também. Conheci por causa de uma aluna minha, que chegou cantando. Faltava uma música para o show e, quando ouvi, logo pensei: ‘é essa que eu preciso". Gestado em 2015, o projeto saiu do papel em junho deste ano e inclui canções próprias, como "Algo mais que o vai e vem", em conjunto com Murilo Cesca e Suely Mesquita.

A cantora e compositora começou na música tocando piano, aos cinco anos. "Depois, com 12, fui dançar. E meu primeiro show aconteceu aos 15. Cantava em bares de Curitiba e no Carnaval de Canoinhas (SC). Mas em 2007 decidi vir para cá (Rio), com a cara e a coragem, fazer Unirio (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Tinha um contato com o Pedro Luis, do Monobloco, e ele me incentivou". Já formada em Licenciatura em Música, Mariana Guedes fez parte do grupo de foliões que fundou o irreverente bloco Fogo e Paixão, com inspiração no cantor brega Wando (1945-2012).

"Toco e canto no Fogo e Paixão, que é muito grande, e no Monobloco faço participações. No ano passado, fui eleita a musa do Carnaval de rua pelo G1", destacou. Na ocasião, "Marimusa" ou "Marideusa", como passou a ser chamada pelos amigos, recebeu 43% dos votos dos internautas do portal, o que lhe conferiu mais visibilidade. Atualmente, a curitibana se diz mais focada na carreira solo, entretanto, ainda encontra tempo para dar aulas de musicalização e canto, além de se dedicar ao Carnaval.

Pelo terceiro ano consecutivo, a paranaense defendeu um samba na Mangueira. "Da primeira vez, eu sofri bastante preconceito. Nesta, já foi diferente; fui muito bem recebida", disse ela, para quem as mulheres estão assumindo seu protagonismo, em todas as áreas. "Eu vejo no Sertanejo as duplas femininas. Antes havia mulheres, mas nunca à frente. E hoje estamos tomando o nosso lugar mesmo. O Fogo e Paixão também tenta trazer essa força feminina. A gente mudou a letra de várias músicas machistas, para chamar a atenção", lembrou.

Serviço:
Show "Desconstruindo Amélia", com Mariana Guedes
Quando: sábado (11)
Horário: às 19h30.
Onde: Auditório Antonio Carlos Kraide (Avenida República Argentina, 3430), no bairro Portão, em Curitiba.
Ingressos: R$40,00.
Mais informações e vendas: (41) 98409-5363 / 98409-5360 / 3013-3934.
Mariana Franco Ramos
Reportagem Local
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO
AOS DOMINGOS PELLEGRINI

GRAÇA

CONTOS

Personagens do cotidiano

Fotografo com o olhar as mil expressões que encontro e parecem coisa de cinema

EM LONDRINA

Zé Ramalho comemora quatro décadas em show

Com um pé no rock e outro no baião, Zé Ramalho traz a Londrina a turnê do show em que comemora quatro décadas de trajetória

PERDA

Morre o escritor Moniz Bandeira

Luiz Alberto Moniz Bandeira morreu na sexta-feira (10); em 2015 ele foi indicado ao Prêmio Nobel de Literatura

CINEMA PENSANTE

Festival Kinoarte chega à 19ª edição

Festival Kinoarte chega à 19ª edição neste final de semana promovendo mais de sessenta exibições de filmes e documentários, palestras e oficinas

RESUMO DE NOVELAS

Resumo de Novelas

Por Raquel Rodrigues
Agência Estado

ESCÂNDALO

'Vemos o abuso como parte do trabalho', diz modelo britânica

Entre as mais bem-sucedidas do momento, top britânica Edie Campbell fala sobre os abusos que são rotina na vida das profissionais

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados
HOSPEDADO POR
Hospedado por Mandic