VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Cidades
31/03/2011

Mulher que sequestrou bebê confessa assassinato

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

A polícia paranaense esclareceu o homicídio da adolescente Paloma dos Santos Agostinho e o sequestro do seu filho recém-nascido. Segundo o delegado Gil Rocha Tesserolli, de São José dos Pinhais, a suspeita Eva Cássia Ferrarezi Zeglan, 40 anos, confessou, nesta quinta-feira (31), ter levado o bebê depois de assassinar a adolescente. A polícia investiga se a mulher iria ficar com a criança, como afirmou no depoimento.
PUBLICIDADE

O delegado Hamilton da Paz, chefe da Divisão Metropolitana, ressaltou o trabalho conjunto das delegacias de Guaratuba, São José dos Pinhais e Foz do Iguaçu, que tornou possível a rápida elucidação do crime. "Os delegados e policiais agiram com muita rapidez e eficiência. Também foi fundamental a ação da recém-criada agência de inteligência da Polícia Civil, que monitorou a suspeita".

O corpo de Paloma, de 16 anos, foi encontrado em uma estrada rural, no bairro Rio Pequeno, em São José dos Pinhais, no sábado (26). O bebê foi deixado, na tarde de terça-feira (29), na Igreja Nossa Senhora de Fátima, em Guaraniaçu, no Oeste do Estado.

Junto à criança foi encontrado um bilhete, informando que o recém-nascido havia sido vendido por R$ 1,5 mil e que a mãe havia sido deixada com vida pelo suposto casal que tinha a intenção de cuidar do bebê. Porém, em seu depoimento, Eva admitiu ter deixado o bebê na igreja e escrito o bilhete com informações falsas, na tentativa de despistar a polícia.

Conforme levantamento da polícia, Eva tinha uma casa vizinha à da mãe de Paloma, em Guaratuba, e assediou a jovem para que lhe vendesse a criança por R$ 1.500. Eva levou Paloma e o bebê ao hospital para o teste do pezinho e depois os trouxe a São José dos Pinhais, onde daria o dinheiro a Paloma.

"Ela fez empréstimo bancário para conseguir a quantia. Paloma, no entanto, se arrependeu e quis desfazer o trato. As duas brigaram e Eva sufocou e enforcou a adolescente com um pano e depois se desfez do corpo", descreveu o delegado.

Em seguida, a suspeita voltou a Guaratuba, apanhou os filhos, retornou a São José dos Pinhais e viajou para Foz do Iguaçu. No caminho, deixou o bebê em Guaraniaçu. Eva foi presa em companhia de três filhos, em Santa Terezinha de Itaipu, na quarta-feira (30). No momento da prisão, a polícia encontrou no carro que ela dirigia a certidão de nascimento do bebê, documentos de identidade dos pais, fraldas, mamadeiras e roupas.
Redação FolhaWeb com AE Notícias
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO

Jovem é morto por assaltantes

Raphael de Godoy foi baleado quando tentava proteger a família; 'meu filho estava começando a vida', lamenta a mãe

'Até hoje sinto medo de sair à noite'

Suely de Souza foi atingida por uma bala perdida

Brincadeira na terapia

Psicomotricidade relacional ajuda a resolver conflitos escolares e familiares

SUA SAÚDE - TAXA DE AÇÚCAR

Quais as pessoas mais sujeitas à hipoglicemia?

A arte de atuar às escuras

Grupo da Adevilon produz peças para deficientes visuais; objetivo é desenvolver sensibilidade e espírito crítico

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados