Ele é um sub do sub do sub do sub do sub do sub" Assessor da Presidência, Marco Aurélio "Top-Top" Garcia, sobre o porta-voz de Israel que chamou o Brasil de anão diplomático




Campanha: doadores somem com medo da polícia

É grave a penúria da campanha do ex-ministro Alexandre Padilha (PT) ao governo de São Paulo, que, sem dinheiro, nem sequer consegue pagar salários, mas não é um caso isolado. O endurecimento da legislação e o medo de operações policiais afugentam financiadores. Eles tentam dar preferência aos favoritos nas pesquisas, mas a maior prioridade deles é não aparecer em uma nova Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

BC da corrupção
Preso na Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef chefiaria o banco central da corrupção que "lavou" R$ 10 bilhões sujos para políticos governistas.

Pendurado na brocha
Até "arrecadadores" ligados ao PT abandonam Alexandre Padilha, e há os que embolsam as poucas doações obtidas em nome do candidato.

Quem paga a conta
Políticos governistas garantiam dinheiro para a campanha por meio do superfaturamento de obras como a refinaria de Abreu e Lima (PE).

Fora de circulação
Operações como a Lava Jato ainda não geraram sentenças, mas têm o mérito de retirar de circulação o dinheiro "não contabilizado" de caixa 2.

Marinha não pode cassar medalha de Genoino
O mensaleiro condenado José Genoino deve ter medalhas cassadas pelas Forças Armadas assim que os comandantes decidirem cumprir o previsto em regulamento. Exceção feita à Medalha do Mérito Tamandaré, pois a insígnia conferida pela Marinha foi criada pelo decreto 42.111 de agosto de 1957 e não há previsão de revogação da honraria, mesmo que o agraciado cometa crimes contra a ordem, erário e sociedade brasileira.

Bobagem de quem?
Ao ser questionado sobre agraciar ex-guerrilheiro, Mauro César Pereira, o ministro da Marinha à época disse: "bobagens todo mundo comete".

Era tudo novidade
Em 1997, além do petista Genoino, a Marinha condecorou Aldo Rebelo e se tornou a primeira Força a entregar comendas a políticos de esquerda.

A saber
Genoino recebeu também honrarias da Aeronáutica e do Exército, bem como a Medalha da Vitória, entregue pelo Ministério da Defesa em 2011.

Raposa no galinheiro
O novo diretor do fundo de previdência dos Correios – o Postalis – toma posse na semana que vem sob suspeita dos servidores. Paulo Moura de Sá, sócio-fundador da Portfolio Investimentos, de Brasília, é ligado ao PMDB e ao banco BNY Mellon, que contribuiu para o rombo no Postalis.

Ombro amigo

Em missões consideradas "de risco", a presidente Dilma leva a tiracolo o governador Jaques Wagner (PT-BA). Foi assim no velório do escritor Ariano Suassuna, em Recife, onde Wagner não a deixou só um único segundo. Isso dá segurança a presidente, dizem seus assessores.



Poder sem Pudor
Imagem ilustrativa da imagem CLAUDIO HUMBERTO
Conversa de bêbado Sebastião Paes de Almeida fazia campanha para o governo de Minas Gerais, quando, no interior, viu-se diante do presidente da Liga Contra o Álcool da cidade. O homem estava aproveitando a campanha eleitoral para tentar viabilizar a construção de uma sede para a entidade: - Dr. Sebastião, além da nossa sede, precisamos que o senhor nos compre cinco carros. É para ensinar o povo a deixar de beber. A reação do candidato foi na bucha: - Meu amigo, por acaso você está bêbado? Leia coluna completa www.folhaweb.com.br Com Ana Paula Leitão e Tiago de Vasconcelos www.diariodopoder.com.br