"Foi rigorosamente adequado"
Ministro José Cardozo (Justiça), sobre ajuda dada a Maluf para trazer processo dos EUA ao Brasil

Aliados atribuem desgaste de Dilma à rejeição do PT
Presidentes de siglas aliadas aconselharam presidenta Dilma a descolar sua imagem do Partido dos Trabalhadores na campanha em alguns Estados pela reeleição. Em reunião na terça-feira no Palácio da Alvorada, dirigentes alertaram que o PT enfrenta forte rejeição, o que respinga no desempenho eleitoral da candidata petista. Os partidos cobraram ainda a descentralização de coordenações regionais, muito controladas pelo PT.

Ganha força
Os dirigentes recomendaram que Dilma se apresente como candidata não só do PT, mas de nove grandes partidos, com representatividade.

Mau agouro
No encontro, Dilma reclamou de ação orquestrada para criar pessimismo no País, primeiro com apagão e, agora, com a Copa e a crise econômica.

Desceu do salto
A fim de estancar as queixas por mais participação na campanha, Dilma marcou nova reunião com presidentes aliados para a próxima terça-feira (29).

Nunca antes
A equipe de campanha apostará na comparação entre 12 anos da gestão petista e os oito de FHC. O PT garante que todos os índices melhoraram.

Empregados públicos da Infraero temem demissão
Os empregados públicos da Infraero que atuam no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, estão com medo de serem demitidos por conta da concessão feita pelo governo federal. A empresa deu apenas duas opções aos 909 ameaçados: ou aceitam remanejamento para aeroporto de outro estado ou se aposentam. Ocorre que a maioria não chega a ganhar salário de R$ 1.500, o que inviabiliza a mudança com a família.

Sem validade
Um acordo coletivo assegura o emprego do grupo até 2018, mas fora do Rio, onde seus familiares ficarão desempregados e desestruturados.

Pede pra sair
A Infraero começou um estímulo à demissão, mas a verba do governo não foi suficiente para os pagamentos e hoje há só uma fila de espera.

Calma, gente!
Para acalmar os ânimos, a Infraero fez um "cadastro para possíveis oportunidades de trabalho", mas todos temporários. Depois disso: rua.

Porta-voz
O vice Michel Temer passou a manhã ontem em João Pessoa acalmando o senador Vital do Rêgo (PMDB). Lá, anunciou que a presidente Dilma irá subir em seu palanque e já agenda uma visita a Paraíba para prestigiá-lo. Todo esforço decorre do temor de Vital incendiar a CPMI da Petrobras.

Amizade ‘íntima’
No relatório em que arquivou o processo interno contra Luiz Argôlo (BA), o SD admite que há "amizade íntima" entre o deputado e doleiro Youssef. O documento foi anexado à sua defesa no Conselho de Ética da Câmara.

Inesperado
Aécio Neves foi surpreendido ontem a com renúncia do tucano Eduardo Tavares de disputar o governo. O alagoano alegou não ter recebido apoio do PSDB. O governador Teotônio Vilela anuncia o substituto nesta sexta-feira.

Continua de pé
Presidente do DEM, José Agripino (RN), reiterou a confiança da sigla no trabalho do vice-governador Thomaz Nonô (AL) junto à coordenação de campanha do tucano Aécio Neves, e confirmou sua manutenção no cargo.

Pires na mão
Deputados do PMDB discutiram em reunião na semana passada sobre tentar obter ajuda financeira do diretório nacional. A reclamação é geral sobre a indisposição de empresas em fazer doações eleitorais este ano.

Dilma Make-up
Mestre em maquiar números, o governo brasileiro questiona a posição do País no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano da ONU. Nas contas tupiniquins, o Brasil deveria saltar da 79ª para 67ª colocação.

Território inimigo
O presidenciável Eduardo Campos (PSB-PE) confirmou para este sábado (26) a estreia de sua campanha em Minas, curral eleitoral do adversário Aécio Neves (PSDB), ao lado de Tarcísio Delgado, em Juiz de Fora.

Alto lá
Depois do "a" em presidenta, Dilma Rousseff tem que tomar mais cuidado para a vogal não entrar onde não deve. Quem pagou o pato foi o finado Ariano Suassuna que, ao menos no Twitter da petista, virou Suassuana.

Pensando bem...
... o título de "anão diplomático" dado por Israel ao Brasil, pelo menos dessa vez, nada teve a ver com um certo ex-chanceler megalonanico.

PODER SEM PUDOR

Imagem ilustrativa da imagem CLÁUDIO HUMBERTO



Coreto tombado
A história é muito conhecida nas rodas políticas de Minas. Certa vez, na década de 50, a prefeitura de Muzambinho recebeu uma advertência por escrito do órgão estadual de defesa e preservação do patrimônio histórico. Na mensagem, diante de murmúrios chegados a Belo Horizonte, a municipalidade foi avisada de que o antigo coreto da praça da cidade era considerado "de interesse histórico", e que uma comissão iria até lá para tombá-lo. O prefeito reagiu com um telegrama urgente:- Desnecessária vinda da comissão. Já que era para tombar, mandei derrubar o coreto.