CLÁUDIO HUMBERTO

''Eu não acredito na previdência privada no Brasil''
Francisco Fausto, presidente do TST, sobre a reforma previdenciária proposta pelo governo

Intriga cem no Fome Zero
O ministro de Segurança Alimentar José Graziano quer briga com o colega Luís Gushiken. Disse a um parlamentar petista que não ''aguenta mais'' a intromissão do ministro de Comunicação de Governo e Gestão Estratégica no Programa Fome Zero. ''Ele se mete até na logística'', reclamou. Graziano avisou que vai ''comprar a briga'' e ''passar o trator''. A briga promete: Gushiken é considerado o mais influente ministro junto ao presidente Lula.

Ele merece
Convém o ministro José Graziano dobrar a língua e redobrar os cuidados. Sua frase preconceituosa, atribuindo a criminalidade de São Paulo ao excesso de nordestinos, fez correr na Internet, como rastilho de pólvora, a sugestão de recebê-lo com torta e ovos podres, na próxima visita à região.

A alma do negócio
Já se conhece a primeira realização da ministra Marina Silva na área de Meio Ambiente: renovou por um ano o contrato com a agência de propaganda Artplan Comunicação S/A Valor: R$ 1.117.185,49.

Delegado fora
O delegado Valdir Barbosa, um dos principais acusados de chefiar a gangue do grampo na Bahia, pediu ontem para sair da chefia da Polícia Civil. O governador Paulo Souto, que não tinha coragem de afrontar ACM, demitindo o delegado, aceitou o pedido aliviado.

FHC viabilizou o golpe
O Itamaraty guarda a sete chaves uma história que envergonha o Brasil: o ex-presidente paraguaio Raúl Cubas renunciou e se exilou no Brasil porque, diante da crise, telefonou ao então presidente Fernando Henrique pedindo ajuda e o brasileiro ofereceu-lhe apenas asilo político, viabilizando o golpe.

Copom que vale um milhão
O governo do PT trocou as juras de amor pelos juros de matar: o aumento da taxa anual decidida ontem pelo Copom, segundo analistas, neutralizou 28% dos cortes de R$ 14 bilhões anunciados pelo governo há dias.

Fala sério!
Sugestão para o próximo presidente: ao tomar posse dizer ''eu juros''.

Rossi condenado
O TCU condenou o ex-presidente do INSS Arnaldo Rossi e 53 bancos a devolver R$ 150 milhões ao Erário. Casado com uma das herdeiras do Banco Icatu, ele autorizou os banqueiros a reter o INSS e a aplicar na ciranda financeira. O processo foi iniciado há doze anos pela deputada Cidinha Campos (PDT-RJ). Rossi ainda está sujeito a processos civis e criminais.

Cara lustrosa
O deputado Pinheiro Landim (sem partido-CE) negou na Câmara que tenha ligações com o narcotráfico. Chegou ao depoimento com o rosto tão bem barbeado que até brilhava. Usou Óleo de Peroba como loção após barba.

Pensando bem...
...de tanto pedir ''Justiça! Justiça!'', Pinheiro Landim ainda acaba preso.

Vereador valentão
O vereador Tenente Célio (PSB), de Palmas (TO), um policial militar conhecido pelo linguajar chulo, agrediu ontem a colega Edna Agnolin (PPB), jogando-a contra uma parede. Ela sofreu traumatismo craniano e deslocou o ombro direito. O caso será levado hoje pelo senador Eduardo Siqueira Campos à secretária nacional dos Direitos da Mulher, Emília Fernandes.

Neologismo americano
George Bush, aos poucos, está criando um neologismo. No futuro, fazer uma guerra sem provar a culpa do inimigo vai se chamar ''Sadanagem''.

Sem polarização
O governador Germano Rigotto orientou sua equipe a documentar e acionar o ministério público e o Tribunal de Contas sobre situações graves encontradas nas secretarias, mas está convencido de que ''o governo do Rio Grande do Sul precisa olhar muito para a frente e menos para trás'', lembrando que esse princípio o levou a vitória, nas eleições.

Amigo dos amigos
Deu no DO da Assembléia do Rio: Cassia Maria Picanço de Mello, sobrinha de um dos envolvidos no escândalo dos fiscais, foi nomeada consultora financeira pelo presidente da Alerj, Jorge Picciani. O irmão dele, Pedro Picciani, ganhou cargo de consultor parlamentar, assim como os ex-deputados derrotados José Renato de Jesus e Claudiocis da Silva.

Neologismo baiano
No futuro, todo romance tumultuado que começar num spa vai ser chamado de ''romance spalhafatoso''.

Oposição de idéias
O deputado Paulo Pinheiro (PT) nega que tenha participado de qualquer armação para submeter a governadora Rosinha Matheus à tentativa de linchamento, segunda-feira, como ela acredita. ''Nossa oposição ao governo se faz no campo das idéias e não no da força física'', diz ele.

O que é isso, hermano?
Petista militante há 21 anos, a paulista Sandra Paulino espera resposta de Lula ao e-mail enviado dia 5: o marido Saulo César da Silva, doutorando de Linguística da PUC, foi roubado durante congresso em Cuba e quase preso sob a alegação da polícia de que ''não há ladrões'' por lá. ''Suspeito'', ele só voltou com ajuda da vice-cônsul cubana. Está até sem passaporte.

PODER SEM PUDOR

Proibido para ingênuos

Prefeito de São Paulo no final da gestão, em 1988, Jânio Quadros pensou em Sílvio Santos para sua sucessão, e pediu ao deputado Gastone Righi para promover um almoço. Jânio foi direto ao ponto, perguntando a Sílvio ele se relacionaria com os vereadores. ''Simples'', reagiu Sílvio, explicando:
- Os vereadores foram eleitos pelo povo e como sou vou mandar projetos de interesse do povo, eles vão aprovar tudo. Vai ser tranquilo.
- Compreendo - pigarreou Jânio, percebendo que tratava com um principiante. Após alguns instantes de silêncio, pediu ao anfitrião:
- Gastone, meu bem, seria bom mandar servir o almoço.
E não se falou mais no assunto.

Colaborou: Teresa Barros
E-mail: [email protected]
www.claudiohumberto.com.br