VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso gratuito ao
conteúdo Folha de Londrina
   ou   
para ter acesso ao melhor conteúdo do Estado.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Terça-feira, 27 de Setembro de 2016
Saúde
24/02/2014

Cuidados com a boca beneficiam organismo

Falta de atenção à saúde bucal pode desencadear doenças e até interferir na qualidade do sono e da vida social

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois
Shutterstock
Uma consulta detalhada no dentista pode diagnosticar doenças como hipertensão arterial e diabetes

Há quem pense que escovar os dentes é importante apenas para manter a saúde bucal em dia. Na verdade a higiene da boca está intimamente ligada à saúde de todo o organismo. Na boca vivem muitas bactérias que podem ser nocivas se não forem controladas. Um pequeno ferimento na gengiva pode ser uma ponte para a entrada de bactérias na corrente sanguínea, podendo causar doenças e, inclusive, levar à morte.

A maior parte dos problemas bucais pode ser prevenida e tudo começa com a visita periódica ao cirurgião dentista. O coordenador do curso de Odontologia da Unopar, Fernão Campos Leite Junior, explica que uma consulta detalhada é o primeiro passo para identificar possíveis problemas. Conforme ele, o dentista tem papel importante no diagnóstico de hipertensão arterial e diabetes. Mas, para isso, é preciso que o paciente passe ao profissional o máximo de informações possíveis sobre hábitos, dores e problemas, não limitando-se às questões relacionadas à saúde bucal. "O dentista precisa ter uma visão daquela pessoa como um todo e não apenas dos dentes ou da boca dela", salienta.

A boca é repleta de bactérias que possuem diversas funções, entre elas a de auxiliar na digestão dos alimentos. No entanto, uma situação de estresse que provoque a queda da imunidade pode resultar no aumento da proliferação de alguns tipos de bactérias e trazer riscos à saúde. "O desequilíbrio da flora bacteriana leva a doenças como cáries e gengivites", explica Leite Junior. As cáries não tratadas podem resultar na perda de dentes, o que atrapalha na mastigação e pode refletir no desenvolvimento de um problema gástrico, já que com a mastigação inadequada – e os alimentos engolidos mais inteiros - o estômago é sobrecarregado. Esta reação em cadeia é um dos vários exemplos que comprovam como a saúde bucal está diretamente relacionada à saúde geral do organismo.

Até mesmo o sono e a vida social das pessoas podem ser afetados se a saúde da boca não estiver em dia. Quem tem problemas na Articulação Temporomandibular (ATM) sabe o que é isso. "Esta articulação é responsável pelo encaixe adequado entre os dentes, quando ela se desestabiliza a pessoa pode ter fortes dores de cabeça. Geralmente, estes pacientes não dormem direito e têm uma qualidade de vida ruim", comenta o cirurgião dentista.

Apesar de tanta importância, a saúde bucal ainda é subestimada por grande parte das pessoas que na hora da pressa ou do sono negligenciam a higiene dos dentes, bochechas e língua. "Quase tudo se resume à falta de higiene bucal", explica. Ele lembra que a doença mais prevalente é a cárie, que se não for tratada pode atingir os vasos sanguíneos que irrigam a polpa do dente. "Neste ponto as bactérias têm acesso à circulação sanguínea do organismo. Elas podem viajar pelo sangue e se instalar no coração causando uma endocardite bacteriana, ou podem infeccionar o músculo do pescoço e provocar uma asfixia. Uma infecção não tratada pode provocar ainda um abscesso cerebral ou uma infecção generalizada, levando o paciente a um estágio crítico que pode provocar a morte", elenca Leite Junior.

Uma pesquisa aponta que os problemas bucais possuem relação até mesmo com lesões musculares. "Já foi comprovado que o ácido lático produzido por lesões cariosas possuem influência na ocorrência de lesões musculares. Este dado reforça a importância de manter a saúde bucal em dia para os atletas de ponta", afirma o cirurgião dentista.

A segunda doença bucal mais prevalente é a periodontite (inflamação nas gengivas). Aparentemente inofensiva, esta doença pode trazer sérios problemas aos diabéticos e às gestantes. "Sabemos que focos de infecção na boca atrapalham a definição da dose adequada de insulina, por isso os diabéticos que estão com dificuldade de acertar a quantidade de insulina devem procurar um cirurgião dentista para avaliação", orienta Leite Junior. As gestantes com gengivite também precisam ser acompanhadas de perto. "Sabemos que a doença periodontal pode desencadear o parto prematuro e está diretamente relacionada ao nascimento de bebês com baixo peso", diz.

Continue lendo:

- Orientação e prevenção

- Câncer está relacionado à má higiene bucal
Michelle Aligleri
Reportagem Local
Continue lendo
6
Continue Lendo
Assine a Folha de Londrina
EDITORIAS
PolíticaGeralMundoCidadesEconomiaEsporteFolha 2OpiniãoFolha MaisEleições 2016Índice de Notícias
SEÇÕES
ChargeColunistasIndicadoresTempoHoróscopoEdição DigitalGaleria de FotosClassificadosCadernos EspeciaisPromoçõesLoterias
SEMANAIS
ReportagemFolha GenteCarro & CiaImobiliária & CiaSaúdeEmpregos & ConcursosFolha CidadaniaNorte PioneiroCasa & ConfortoMercado DigitalFolha da SextaFolha Rural
CLASSIFICADOS
VrumLugar CertoFolha ClassificadosDiversos
SERVIÇOS
ComercialArquivoCapa do ImpressoExpedienteClube do AssinanteFale ConoscoAviso LegalPolítica de PrivacidadeTrabalhe ConoscoQuem SomosGuia GastronômicoAssine Já!
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados