VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Reportagem
04/11/2017
VALORES

'Qualquer ato de relevância moral vai denotar admiração'

Para professor de ética, o fato de o País conviver com casos de corrupção não significa que a sociedade seja corrupta

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Para Bianco Zalmora Garcia, professor de ética e política do Departamento de Filosofia da UEL (Universidade Estadual de Londrina), casos que envolvem a temática honestidade sempre chamam a atenção. "Qualquer ato heroico ou que tenha relevância moral vai denotar admiração, como se fosse um modelo a ser seguido. Este tipo de situação é regido por um princípio que todos esperamos que ocorra na sociedade", explica.
PUBLICIDADE

No caso do menino de Santo Antônio da Platina (Norte Pioneiro), que devolveu o troco sem que o responsável por doar o dinheiro esperasse, acaba ganhando mais interesse e publicidade por se tratar de uma criança. "Pela faixa etária, o ato honesto veio de um certo altruísmo, porque, normalmente, a criança tende a ser mais egocêntrica. Seu desenvolvimento moral age de um lado por interesse e de outro para obedecer normas e convenções", afirma ele, que é doutor em educação pela USP (Universidade de São Paulo).

De acordo com Garcia, o fato de o País conviver com inúmeros casos de corrupção envolvendo políticos e pessoas públicas não significa que a sociedade seja corrupta. "Foi criada a sensação generalizada de que estamos em uma cultura de desonestidade. Isso gera insatisfação e a ideia de que todos estamos envolvidos neste contexto", aponta. "Londrina é um caso peculiar, porque passou por vários momentos políticos marcados por desvios de conduta e já viveu esse tipo de sensação com ainda mais ênfase."

Pesquisa divulgada nesta semana pelo Datafolha, encomendada por uma consultoria organizacional em parceria com um instituto britânico, mostrou que a população vê a corrupção como um comportamento que representa o Brasil. Por outro lado, porém, acredita que a honestidade é o que melhor caracteriza o brasileiro. "Existe uma desconexão entre o corpo politico e a sociedade, embora dentro de uma democracia representativa, e isso fica explícito no levantamento. O único aspecto contraditório nisso é que esse conjunto de pessoas que elenca a honestidade como um valor primordial não repercute isso na eleição", analisa.

Garcia ainda explica que a honestidade é um valor que se conquista com o tempo e está alinhada a um conjunto de outros fatores, como a decência, retidão e caráter. "Ninguém nasce honesto, mas aprende no contexto familiar e social. Por isso a autorrespeitabilidade é fundamental no conceito de honestidade. Além do mais, esses valores são necessários para um bom convívio social. As pessoas precisam ter esse anseio diariamente", pontua.
Pedro Marconi
Reportagem Local
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO
VALORES

Exemplos de honestidade

Histórias como a da criança e do eletricista de Santo Antônio da Platina levam à reflexão sobre a importância de boas práticas para a construção de uma sociedade mais correta

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados
HOSPEDADO POR
Hospedado por Mandic