VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Política
APURAÇÃO

Investigação da promotoria expôs relação de Aécio com Perrella

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Uma investigação do Ministério Público de Minas expôs a relação entre a gestão do senador Aécio Neves (PSDB-MG) no governo de Minas e a família do senador Zezé Perrella (PMDB-MG). Conforme apurações da Promotoria de Patrimônio Público, a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) teria fechado contratos, convênios e termos de cooperação sem licitação, com a empresa Limeira Agropecuária e Representações, que era administrada por Zezé Perrella.
PUBLICIDADE

Entre os acordos estava o fornecimento de sementes pela Epamig para fazenda da Limeira. Depois, a empresa pública comprava a produção da família Perrella para que os alimentos - feijão, milho, arroz e sorgo - fossem usados no programa "Minas Sem Fome".

As investigações desse caso eram conduzidas pelo promotor Eduardo Nepomuceno que, no final do ano passado, foi retirado da promotoria de Defesa do Patrimônio Público por determinação do Conselho Nacional do Ministério Público, a partir de reclamações sobre investigações do Ministério Público Estadual (MPE) feitas por Zezé Perrella.

As suspeitas de irregularidades na Epamig foram mostrados pelo jornal O Estado de S. Paulo em janeiro de 2014. Os contratos teriam começado a ser fechados em 2007, durante o governo de Aécio Neves. Por causa das investigações do MPE, foi determinado o bloqueio de bens e a quebra dos sigilos fiscal e bancário de Perrella, seu filho, Gustavo Perrella, que sucedeu o pai no comando da empresa, e de ex-integrantes da Epamig. O valor total a ser bloqueado era de R$ 14,5 milhões.

FAMÍLIA

A relação entre Aécio e os Perella voltou a ser exposta, agora na delação do empresário Joesley Batista, da empresa JBS. O dinheiro que Joesley diz ter passado a Aécio teria como destino a empresa Tapera Participações e Empreendimentos Agropecuários, que pertenceria ao filho de Zezé Perrella, Gustavo Perrella, que é Secretário Nacional de Futebol do Ministério dos Esportes. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Leonardo Augusto
Agência Estado
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO

CLÁUDIO HUMBERTO

"Não roubarão nosso País de nós"
Deltan Dallagnol, procurador da Lava Jato, após a denúncia contra Michel Temer

FIM DA ERA TEMER

Maia já discute com técnicos legislativos sobre eleições indiretas

Parlamentares da base aliada afirmam que foi discutida a necessidade de elaborar uma nova lei para "ajustar detalhes" da legislação

'HOMEM DE TEMER'

Psol e Rede preparam pedido de cassação de Rocha Loures

Deputado do Paraná foi citado na delação de Joesley Batista por supostamente ter atuado no Conselho Administrativo de Defesa Econômica em troca de propina

LUIZ GERALDO MAZZA

"Que tal um novo dilúvio, agora de água benta, para a remissão dos nossos pecados?"

Aécio é afastado do cargo de senador e deixa comando do PSDB

Tucano diz que vai se defender da denúncia do MPF de que teria sido gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley Batista, dono da JBS

Lideranças do Paraná defendem renúncia de Temer e criticam Aécio

Políticos paranaenses apontam que não há mais condições para peemedebista permanecer na Presidência; deputado tucano pede a saída de Aécio do partido

Fachin autoriza abertura de inquérito contra Temer

Supremo vai apurar se o presidente da República cometeu crime de obstrução à Justiça com base na delação premiada dos irmãos Batista, do grupo JBS

ESQUEMA

Joesley diz que 100% do seu negócio 'era com o presidente Michel'

A afirmação do empresário foi feita durante o depoimento em abril, no âmbito de sua delação premiada, no contexto em que Joesley explicava a conversa que teve com o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) sobre o pagamento de propinas ao grupo do PMDB

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados
HOSPEDADO POR
Hospedado por Mandic