VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Política
11/11/2017

Cotado para número 2 da PF recebeu doação de Temer

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

O presidente Michel Temer, por meio de seu comitê eleitoral, doou, em 2014, R$ 11,6 mil à candidatura a deputado federal do delegado da Polícia Federal (PF) Sandro Avelar pelo PMDB. Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
PUBLICIDADE

Avelar está cotado pelo novo diretor-geral da instituição, Fernando Segóvia, para o cargo de diretor executivo da corporação, número 2 na hierarquia da PF.

A campanha de Avelar a deputado federal recebeu um total de R$ 460.091,83 em doações. Na lista, além do presidente da República, estão o PMDB do Distrito Federal, construtoras e empresa de combustível. O partido foi responsável por R$ 236 mil da campanha. Avelar se desfiliou da legenda após a disputa. Na eleição, o delegado recebeu 21.888 votos e não se elegeu.

Procurada para comentar o caso, a assessoria da Presidência não respondeu até a conclusão desta edição.
Agência Estado
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO
CLÁUDIO HUMBERTO

Tancredo e a pneumonia

"Não vai passar na Câmara"
Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, sobre a proibição geral a abortos no Brasil

LUIZ GERALDO MAZZA

No divã do analista

"O tucanato sempre esteve em crise de identidade pelo fato de constitui uma espécie de PMDB encabulado"

ALÉM DO MERECIDO

Deputados federais têm 'superfolga' de 10 dias

Presidente da Casa, Rodrigo Maia, não marcou votações na próxima semana e parlamentares esticaram o feriadão da República até o dia 21

POLÊMICA

Reforma trabalhista entra em vigor sob fogo cruzado

Nova legislação, que altera 117 artigos da CLT, passa a vigorar neste sábado em meio a clima de incerteza. Entidades sindicais criticam mudanças em itens como férias e jornada. Para associação de magistrados, há pontos "claramente inconstitucionais". Defensor argumenta que reforma foi pensada para racionalizar o sistema judicial

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados
HOSPEDADO POR
Hospedado por Mandic