VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Opinião

OPINIÃO DO LEITOR

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Carta aos vereadores de Londrina e à CMTU
PUBLICIDADE

Gostaria de expressar aqui minha opinião e solicitação de providências quanto ao transporte coletivo em Londrina. Temos observado que o serviço a cada dia piora, o que ficou mais evidente ainda depois da instalação do Terminal Oeste! Não sei se efetivamente pela gratuidade aos estudantes, mas, enfim, a todo momento são cortados horários, linhas. Moro no Leonor, a situação por lá ficou muito ruim após isso! Pela manhã, próximo das 7 horas, os ônibus são um caos, muitas vezes não conseguimos entrar para chegar até o Terminal Oeste. Está circulando uma conversa de que irão cortar a linha 312 e o 311 passará a atender somente o bairro. Isso é um absurdo, porque da forma que está já esta muito ruim! Outra linha que utilizo diariamente e que atende a muitos, por ser um percurso enorme, é a 807: primeiro, mudaram os horários, os ônibus nunca passam no horário determinado e muitas vezes atrasam até uma hora! Agora, parece que estão querendo reduzir o número de carros, sendo que os que têm não dão conta! Pela manhã, anteriormente saía do terminal por volta das 7h15/7h20, o que atendia muito bem a um grande público. Depois que mudaram, sai de lá às 7h09 e muitos não conseguem chegar para pegar, pois dependem do anterior! Agora, querem mudar novamente e reduzir! Pedimos encarecidamente para que olhem pelos usuários, que seja cobrada a meia passagem dos estudantes, como era anteriormente, para que o sistema não seja tão sucateado como está sendo, e piorando a cada dia! Pedimos que o responsável na CMTU, senhor Wilson de Jesus, tome providências, assim como os vereadores que se posicionem e lutem pelo povo que os elegeu! Vamos convocar a imprensa caso seja necessário!
JANE HIPOLITO (assistente administrativo) - Londrina

Calçadas da Infraero
A Infraero, como todos sabemos, é uma empresa estatal federal localizada em área central de Londrina. Ocupando um enorme espaço de uso e acesso público, que são as calçadas ou o passeio público, como também é conhecido. Infelizmente, contrariando o exemplo que órgãos e o poder público deveriam dar, é uma lástima o desprezo e o descaso com que essa entidade trata esse espaço. Toda esburacada e com mato, isso na parte que o pedestre ainda tem por onde caminhar, com alto risco de cair. Em outro setor, objetivando ganhar mais espaço para explorar o estacionamento, esqueceram das benditas calçadas. Não quero saber de quem é a responsabilidade, assim como não quiseram saber quando notificaram uma diarista, de um bairro próximo, a fazer a calçada em frente à sua casa, inclusive colocando o piso tátil. Desculpar-se por falta de recurso? A Infraero gasta mal os seus recursos (alguém sabe o valor da folha de pagamento dela aqui de Londrina?), com meio salário de um dos maiorais, realocados de outras regiões para cá, sem qualquer outra necessidade (com raríssimas exceções) que não seja a de manter o vínculo empregatício, daria para se fazer todas as calçadas e com alta qualidade. Mas quem sabe, talvez, como é de costume neste bendito país, após algum acidente de monta, gerando inclusive indenizações, as providências sejam tomadas.
JOSÉ ROBERTO BRUNASSI (advogado) – Londrina

Chover no molhado
Neste mesmo instante, no Brasil inteiro, de Norte a Sul, de Leste a Oeste, centenas ou milhares de artigos como este estão sendo escritos e publicados por todos os meios de comunicação, denunciando as discrepâncias que existem na administração federal. A diferença existente entre o ganho de um operário e um deputado é gritante, inconcebível e impraticável em qualquer tempo e para qualquer categoria. Nosso denunciar é justificável e constante, porém constatamos com muito pesar ou mesmo ojeriza que todo este nosso empenho é apenas como chover no molhado. Os donos do poder não estão nem aí com a prosperidade do País e muito menos com o bem-estar da sociedade. Administradores de diversos Estados estão chorando por falta de verbas, apesar da infinidade de imposto que pagamos. O remédio nós sabemos. O número excessivo de parlamentares, com seus ganhos e mordomias escandalosas, somado com a enorme corrupção desencadeada são as causas de tanta quebradeira e descontentamento. Todavia, para combater estas duas facções entrelaçadas, a Lava Jato, encabeçada pelo juiz Sergio Moro junto com o Ministério Público e a Polícia Federal, faz um trabalho cansativo, mas proveitoso e exemplar. Porém, pelo tamanho do descaramento e ousadia deste batalhão de corruptos, tudo é pouco. Sabemos que é chover no molhado. É lamentável e lastimável a imagem que estão levando de nosso Brasil perante o mundo. Um dia a casa cai.
WELLINGTON AMARAL SAMPAIO (administrador aposentado) – Londrina

■ As car­tas de­vem ter no má­xi­mo 700 ca­rac­te­res e vir acom­pa­nha­das de no­me com­ple­to, RG, en­de­re­ço, ci­da­de, te­le­fo­ne e pro­fis­são ou ocu­pa­ção. As opi­niões po­de­rão ser re­su­mi­das pe­lo jornal. E-­mail: opi­niao @ fo­lha­de­lon­dri­na.com.br
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO

HÁ 40 ANOS

7 de dezembro de 1977

Pedágio no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul

A sociedade paranaense não pode aceitar passivamente o fato de o Paraná deter o título de campeão do pedágio mais caro do Sul

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados
HOSPEDADO POR
Hospedado por Mandic