VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso gratuito ao
conteúdo Folha de Londrina
   ou   
para ter acesso ao melhor conteúdo do Estado.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Sábado, 27 de Agosto de 2016
Mundo
12/09/2012

Ministro do Iêmen é ferido após explosão

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

São Paulo - O ministro da Defesa do Iêmen, Ahmad Mohammed Nasser, ficou ferido na explosão de um carro-bomba ontem na capital Sanaa. Pelo menos sete pessoas morreram na ação, em sua maioria agentes de segurança. Nasser saía de uma reunião na sede das forças de segurança do país quando o comboio que o levava foi atingido pelo atentado. A explosão destruiu o primeiro carro da comitiva, onde não estava o ministro.
No local, acontecia um protesto contra o governo civil que assumiu o comando do país após a saída do ditador Ali Abdullah Saleh, em fevereiro. As autoridades confirmam que o ministro foi levemente ferido na ação, enquanto sete agentes de segurança foram mortos. Ainda não estão confirmadas as mortes de civis, mas as autoridades dizem que a ação atingiu cinco pedestres.
A explosão também não foi reivindicada por nenhum grupo terrorista, apesar de haver suspeitas de que o ato tem relação com a morte do número dois da rede terrorista Al Qaeda no país, anunciada na segunda. Anteontem, o presidente iemenita, Abdo Rabbo Mansour Hadi, disse que as forças de segurança frustraram três atentados simultâneos em Sanaa e outras duas cidades que foram atribuídos ao grupo.
O saudita Said Ali al Shehri foi morto em uma operação do Exército iemenita no vale de Hadramut, no leste do país, na semana passada. O Ministério, que não forneceu detalhes sobre as circunstâncias do ataque, disse que a morte do dirigente foi ''um duro golpe aos terroristas''.
Al Shehri era braço-direito do iemenita Nasser al Wahishi, o emir da Al Qaeda na Península Arábica, desde o anúncio da fundação da organização no Iêmen, em 2009. Ele esteve preso em Guantánamo, de onde foi libertado em 2008, quando retornou para a Arábia Saudita e, pouco depois, para o Iêmen.


Folhapress
Continue lendo
5
Continue Lendo
Assine a Folha de Londrina
EDITORIAS
PolíticaGeralMundoCidadesEconomiaEsporteFolha 2OpiniãoÍndice de Notícias
SEÇÕES
ChargeColunistasIndicadoresTempoHoróscopoEdição DigitalGaleria de FotosClassificadosCadernos EspeciaisPromoçõesLoterias
SEMANAIS
ReportagemFolha GenteCarro & CiaImobiliária & CiaSaúdeEmpregos & ConcursosFolha CidadaniaNorte PioneiroCasa & ConfortoMercado DigitalFolha da SextaFolha Rural
CLASSIFICADOS
VrumLugar CertoFolha ClassificadosDiversos
SERVIÇOS
ComercialArquivoCapa do ImpressoExpedienteClube do AssinanteFale ConoscoAviso LegalPolítica de PrivacidadeTrabalhe ConoscoQuem SomosGuia GastronômicoAssine Já!
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados