VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Mundo
06/07/2017

Debate climático domina G20

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Hamburgo, Alemanha - Quando se reunirem na cidade alemã de Hamburgo nesta sexta (7), na cúpula do G20, líderes das principais economias do mundo vão discutir outra cidade: Paris. O Acordo de Paris, assinado em 2015 por 195 partes, deve dominar os debates do fórum global. Dando o tom do debate, a Universidade de Oxford publica nesta quinta (6) seu relatório sobre a mudança climática, alertando para os riscos trazidos à saúde. O texto foi redigido pelo EMS (Simpósio de Mercados Emergentes).
PUBLICIDADE

O brasileiro Alexandre Kalache, presidente do Centro Internacional de Longevidade, faz parte do grupo de pesquisadores que assinam o texto. "Já sabíamos que havia impacto na saúde, mas é em uma magnitude maior do que imaginávamos", afirmou. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 23% das mortes no mundo estão relacionadas a fatores ambientais, como a poluição do ar e da água, cuja redução poderia ajudar na prevenção de 30% das doenças cardiovasculares e 20% dos cânceres.

Cientes das consequências da mudança climática, os signatários do Acordo de Paris firmaram o compromisso de manter o aquecimento da Terra abaixo de 2ºC em relação à era pré-industrial até o fim do século, tentando limitá-lo a 1,5ºC. Mas o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que o país vai deixar o tratado, assinado por seu antecessor, o democrata Barack Obama. Trump será questionado pelos demais governantes em Hamburgo, que já sinalizaram não ter intenção de renegociar o acordo - o americano alega que o teor do tratado é desvantajoso a seu país.
Diogo Bercito
Folhapress
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO

EUA ameaçam usar força militar contra Coreia do Norte

Medida é reação a teste de míssil balístico feito por Pyongyang; Washington sugere novas sanções

OPERAÇÃO HISTÓRICA

Protestos em Hamburgo marcam véspera da cúpula do G20

Grupo de manifestantes tentou avançar para o centro da cidade, que estava fechado em um perímetro de segurança por milhares de policiais

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados