VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Geral
DIVERGÊNCIA

Paraná vai manter vacinação contra dengue apesar de recomendação da Anvisa

Fabricante da vacina apresentou informações que sugerem que pessoas que nunca tiveram contato com o vírus podem desenvolver formas mais graves da doença

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Saulo Ohara
Saulo Ohara


A Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) informou nesta quinta-feira (30) que vai manter a oferta de vacinas contra a dengue em 30 municípios paranaenses, que já recebem a campanha desde 2016, apesar da recomendação contrária da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O público-alvo no Estado são jovens entre 15 e 27 anos.
PUBLICIDADE

De acordo com a nota da Anvisa, divulgada na noite de quarta-feira (29), o laboratório Sanofi-Aventis, fabricante da vacina da dengue, apresentou informações que sugerem que pessoas que nunca tiveram contato com o vírus da dengue podem desenvolver formas mais graves da doença caso tomem a vacina. A Dengvaxia foi aprovada no Brasil em 28 de dezembro de 2015 e não é oferecida pelo Programa Nacional de Imunizações.

LEIA MAIS
Risco de epidemia de dengue em Londrina

A suspeita do laboratório, apresentada nesta semana, ainda não é conclusiva, mas, diante do problema, a recomendação da Anvisa é que a vacina não seja tomada por pessoas que nunca tiveram dengue. Apesar de esclarecer que a vacina por si só não é capaz de desencadear um quadro grave da doença nem induzir ao aparecimento espontâneo da dengue - para isso, é preciso ser picado por um mosquito infectado -, existe a possibilidade de que pessoas soronegativas desenvolvam um quadro mais agudo de dengue caso sejam infectadas após terem recebido o medicamento.

Segundo a Sesa, a nota da Anvisa não interfere na estratégia adotada no Estado . "A decisão do Governo do Paraná em adotar a vacina foi baseada em dados epidemiológicos consistentes, seguindo recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde), sociedades acadêmicas e a liberação da Anvisa. Assim, a campanha foi direcionada somente aos 30 municípios endêmicos e epidêmicos. São cidades que concentraram 82% dos casos registrados no Paraná, 91% dos casos graves e 87% das mortes por dengue do Estado, que enfrentaram epidemias consecutivas e registraram
grande magnitude de casos", justifica a secretaria em nota enviada à FOLHA.

Além disso, a Sesa argumentou que 80% dos casos de primeira infecção são "assintomáticos", ou seja, não apresentam sintomas, o que reforça a decisão do governo estadual em vacinar as cidades com maior risco de epidemia. "O Paraná vacinou 300 mil pessoas contra a dengue em três etapas da campanha: agosto/setembro de 2016, março/abril de 2017 e setembro/outubro de 2017. A Secretaria de Estado da Saúde monitora os vacinados nos 30 municípios que receberam a campanha e não registrou nenhuma reação adversa grave. Somente foram notificadas reações locais leves", informou.

Por meio de um comunicado, a Anvisa esclareceu que "este risco não havia sido identificado nos estudos apresentados para o registro da vacina na população para a qual a vacina foi aprovada". A agência informou que, antes do registro, os efeitos da imunização foram estudados em mais de 40 mil pessoas em todo o mundo, e que as pesquisas seguiram os padrões estabelecidos por guias internacionais da OMS. (Com Agência Brasil)

CONFIRA AS 30 CIDADES COM CAMPANHA DE VACINAÇÃO NO ESTADO

1.Paranaguá
2. Foz do Iguaçu
3. Santa Terezinha de Itaipu
4. São Miguel do Iguaçu
5. Boa Vista da Aparecida
6. Tapira
7. Santa Izabel do Ivaí
8. Cruzeiro do Sul
9. Santa Fé
10. Munhoz de Mello
11. Marialva
12. Paiçandu
13. São Jorge do Ivaí
14. Maringá
15. Mandaguari
16. Sarandi
17. Iguaraçu
18. Ibiporã
19. Jataizinho
20. Porecatu
21. Assaí
22. Bela Vista do Paraíso
23. Cambé
24. Londrina
25. Sertanópolis
26. Leópolis
27. São Sebastião da Amoreira
28. Itambaracá
29. Cambará
30. Maripá
Rafael Fantin
Editor online
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO
A CIDADE FUTURA

Ser radical

O mundo precisa de gente radical, isto é, equilibrada e serena

SUBSTANCIA PERIGOSA

STF proíbe uso de amianto no Brasil

Corte declarou inconstitucional artigo de lei federal que permitia a utilização do mineral de forma "controlada"; substância é cancerígena e causa danos ao meio ambiente, dizem entidades

VALORES ABUSIVOS

Motoristas e entidades reclamam de reajuste do pedágio

Para entrevistados, atual modelo de concessão é ruim e prejudica todo o Estado; novo formato seria saída para cobranças mais justas e qualidade nas rodovias

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados
HOSPEDADO POR
Hospedado por Mandic