VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Segunda-feira, 22 de Maio de 2017
Geral
19/05/2017
'TONIFICADOR MUSCULAR'

Justiça condena fabricante por propaganda enganosa

A acusação às empresas ocorreu porque elas anunciaram propriedades não comprovadas cientificamente

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

São Paulo - Fabricantes de aparelhos e artigos estéticos que prometem emagrecimento, redução de medidas e eliminação de celulite foram condenadas pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ). O Ministério Público-SP ajuizou ação e o TJ condenou a Indústria de Peças para Automóveis Steola e a Benfirco Comércio de Aparelhos e Artigos Estéticos, fabricantes do AB Toner e/ou Toner Shape, por "publicidade enganosa". A acusação às empresas ocorreu porque elas anunciaram propriedades não comprovadas cientificamente, induzindo o consumidor a erro. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já havia interditado os produtos Elysee Belt 4 Pads, Elysee Belt 8 Pads e AB Toner, dos mesmos fabricantes, por falta de registro na agência e de comprovação de segurança.

O AB Toner Shorts e Total Shape (registrados na Anvisa) têm o mesmo objetivo e, de acordo com estudos da Universidade Federal de São Paulo (com o AB Toner), a estimulação elétrica não substitui a atividade voluntária. Outro estudo revelou que o aparelho não proporciona emagrecimento, redução de medidas, eliminação de celulite, nem promove modelagem ou aumento muscular, condicionamento e bem-estar físico. A eletroestimulação não queima gordura, pois o gasto calórico não é relevante.

Na publicidade, entretanto, mesmo sem comprovação, era anunciado que dez minutos de uso do produto equivaliam a 200 exercícios localizados, entre outros benefícios. As fabricantes foram condenadas a recolher R$ 80 mil, mais juros e correção ao Fundo Estadual de Reparação de Interesses Difusos Lesados e ressarcir, por meio de sentenças individuais, o consumidor que teve seus direitos lesados. As empresas ainda podem recorrer. A Agência Brasil tentou contato com as fabricantes, por telefone, mas as ligações não foram atendidas.

Com base na decisão do TJ, o Procon-SP alerta o consumidor que deseja um corpo definido que o indicado é a educação alimentar, adoção de atividade física regular e o apoio de especialistas.
Ludmilla Souza Agência Brasil
Continue lendo
10
Assine a Folha de Londrina
EDITORIAS
PolíticaGeralMundoCidadesEconomiaEsporteFolha 2OpiniãoFolha MaisEleições 2016Índice de Notícias
SEÇÕES
ChargeColunistasIndicadoresTempoHoróscopoEdição DigitalGaleria de FotosClassificadosCadernos EspeciaisPromoçõesLoterias
SEMANAIS
Folha GenteCarro & CiaImobiliária & CiaSaúdeEmpregos & ConcursosFolha CidadaniaNorte PioneiroMercado DigitalFolha RuralReportagemCozinha & Sabor
CLASSIFICADOS
VrumLugar CertoFolha ClassificadosDiversos
SERVIÇOS
ComercialArquivoCapa do ImpressoExpedienteClube do AssinanteFale ConoscoAviso LegalPolítica de PrivacidadeTrabalhe ConoscoQuem SomosGuia GastronômicoAssine Já!
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados