VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Geral
18/06/2013

Há seis meses, tragédia provocou comoção

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Londrina - Apesar do tempo decorrido, um acidente ocorrido na Rodovia Carlos João Strass em dezembro do ano passado ainda deixa marcas nos profissionais que atenderam a ocorrência. O desastre aconteceu às 11 horas, quando um adolescente de 16 anos pegou o carro escondido dos pais, perdeu o controle do veículo e se chocou contra outro veículo, em que estavam um casal e um bebê de 2 meses, de Bela Vista do Paraíso.
PUBLICIDADE

O choque foi tão violento que a criança, que estava no bebê conforto, foi arremessada para baixo do banco do passageiro. A criança sofreu um corte na cabeça e quebrou o braço esquerdo. A mãe foi encaminhada ao hospital em estado grave e morreu dias depois. A reportagem procurou o marido da vítima para comentar o assunto, mas ele não quis dar entrevista.
O adolescente que conduzia o veículo estava na companhia de dois amigos, também menores de idade.
A FOLHA esteve no local e presenciou o comportamento do garoto diante do acidente. O adolescente não esboçava nenhuma reação, nem mesmo com a chegada da mãe que denunciava desesperadamente o ato de irresponsabilidade do filho.
"O sargento que estava no local não se conformou e levou o adolescente pelos braços até a ambulância. Nós queríamos que ele visse o estado das vítimas. Não adianta. Nessas horas o lado pessoal fala mais alto porque nós também temos família, filhos. Todo mundo ficou chocado", comenta o soldado Marcelo Aparecido de Macedo, que atua há 17 anos no Corpo de Bombeiros em Londrina e há dez no Siate.
Macedo ainda lembra que o caso gerou muita comoção, principalmente por envolver um adolescente condutor e por vitimizar um bebê de poucos meses de vida. "Já atendi muitos acidentes envolvendo carros e motos conduzidos por adolescentes, mas aquele ficou muito marcado. Na rotina de trabalho percebo o quanto os adolescentes assumem riscos, pois quando se envolvem em acidentes, muitos são com gravidade. Eles não têm idade para assumir essa responsabilidade, não têm experiência para pilotar, não passaram por cursos teóricos e práticos e não têm noção nenhuma de direção defensiva", critica.(M.O.)
NOTÍCIAS RELACIONADAS
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO

Onda de protestos toma conta do País

Em Londrina, milhares foram às ruas do centro; não houve incidentes

Concluída desapropriação da face sul do aeroporto

Medida é necessária para ampliação da pista do terminal

Programa Universidade para Todos

Inscrições do Prouni começam sexta-feira

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados