VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso gratuito ao
conteúdo Folha de Londrina
   ou   
para ter acesso ao melhor conteúdo do Estado.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Terça-feira, 27 de Setembro de 2016
Folha Rural
26/05/2012

Cooperativas contam com 1,7 mil profissionais

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois
Com auxílio da assistência técnica, a produtividade média do trigo no Paraná passou de 1,4 mil kg/ha em 2000 para 2,9 mil em 2010

O número de profissionais que atuam com assistência técnica nas cooperativas do Paraná já ultrapassa a extensão rural oficial, promovida pelo Instituto Emater. Atualmente, 1.720 profissionais prestam assistência técnica às cooperativas de agronegócio do Estado, atendendo 129 mil cooperados. Desse total, 1.100 possuem nível superior, entre agrônomos, veterinários, engenheiros florestais e zootecnistas.
O gerente técnico e econômico da Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), Flávio Turra, avalia que o padrão de tecnologia utilizado no agronegócio exige profissionais habilitados. A média do Estado é de um técnico para atendimento de 75 cooperados. Segundo Turra, apesar de bom, o número deveria ser maior para possibilitar o aumento da frequência de atendimento nas propriedades. ''Mesmo assim, podemos afirmar que nenhum estado tem um número de profissionais na assistência técnica tão alto quanto o Paraná no sistema cooperativista'', comemora.
Turra ressalta a importância desses profissionais para que a transferência de tecnologias ocorra de forma segura e com confiança, além da garantia de que a aplicação das novas tecnologias seja feita conforme a recomendação da pesquisa. ''A assistência técnica se profissionaliza cada vez mais e seu resultado no agronegócio pode ser quantificado pelo aumento da produtividade conquistado nos últimos dez anos'', argumenta. Segundo dados do Departamento de Economia Rural (Deral) do Paraná, a produtividade média do trigo nos campos paranaenses era de 1.425 kg/ha em 2000. Em 2010, o índice subiu para 2.939. No caso do milho, o rendimento também quase dobrou, passando de 3.298 kg/ha em 2000 para 6.032 em 2010. A produtividade das lavouras de soja do Estado aumentou de 2.518 para 3.148 nesses dez anos.
Na avaliação de Turra, a agricultura de precisão, o cultivo de produtos com qualidade diferenciada e a rápida evolução das tecnologias agropecuárias - principalmente em termos de biotecnologia - tornam a presença do técnico agrícola cada vez mais necessária para garantia do aumento de produtividade e redução de custos na agropecuária.(M.F.)
Continue lendo
15
Continue Lendo
Assine a Folha de Londrina
EDITORIAS
PolíticaGeralMundoCidadesEconomiaEsporteFolha 2OpiniãoFolha MaisEleições 2016Índice de Notícias
SEÇÕES
ChargeColunistasIndicadoresTempoHoróscopoEdição DigitalGaleria de FotosClassificadosCadernos EspeciaisPromoçõesLoterias
SEMANAIS
ReportagemFolha GenteCarro & CiaImobiliária & CiaSaúdeEmpregos & ConcursosFolha CidadaniaNorte PioneiroCasa & ConfortoMercado DigitalFolha da SextaFolha Rural
CLASSIFICADOS
VrumLugar CertoFolha ClassificadosDiversos
SERVIÇOS
ComercialArquivoCapa do ImpressoExpedienteClube do AssinanteFale ConoscoAviso LegalPolítica de PrivacidadeTrabalhe ConoscoQuem SomosGuia GastronômicoAssine Já!
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados