VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Folha Rural
15/09/2012

Bem-estar animal: cuidado que gera rendimento

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Evitar estresse, sofrimento e maus tratos, garantir conforto térmico, alimentação de qualidade e saúde, desde o nascimento até o abate. Esses são alguns dos preceitos defendidos pela teoria do bem-estar animal e que estão cada vez mais presentes na produção de alimentos. Além da preocupação ética, o manejo feito de acordo com as exigências do bem-estar animal garante maior produtividade e qualidade do produto final.
PUBLICIDADE

Cada país impõe regras próprias dentro do conceito de bem-estar e no Brasil o Ministério da Agricultura é responsável pelo fomento dessas ações, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDC). O Programa Nacional de Abate Humanitário (Steps), desenvolvido em parceria com a Sociedade Mundial de Proteção Animal (WSPA), defende o conhecimento do comportamento animal para o uso de estratégias de manejo consciente.

Entre os cuidados previstos ainda durante o período de produção estão dieta balanceada, condições higiênicas, instalações adequadas e sanidade. O transporte costuma ser um dos pontos mais delicados, pois exige investimento em veículos adaptados e capacitação dos funcionários responsáveis pelo trato dos animais. No manejo pré-abate, os cuidados são intensificados para diminuir o estresse e seguem até o momento de insensibilização que antecipa o abate. O manejo inadequado afeta a qualidade da carne em fatores como cor, pH, consistência e durabilidade, além disso, eventuais hematomas e contusões podem reduzir o rendimento das carcaças.

Leia a reportagem completa de Mariana Fabre em conteúdo exclusivo para assinantes da FOLHA.

Leia Também:

'Tenho satisfação ao ver o rebanho bem tratado'

Sem informação produtor é prejudicado

Criadores pedem distribuição dos custos

De olho na eficiência produtiva
Redação FolhaWeb
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO

MDS investe R$ 2,63 bi no Programa de Aquisição de Alimentos

Com recursos, governo vai adquirir 1,3 milhão de toneladas de alimentos de pequenos agricultores

Redução de tarifas vai gerar benefícios também no campo

Ministério do Desenvolvimento Agrário prevê redução dos custos em até 28%

VBP bate recorde ao atingir R$ 227 bilhões

Segundo Mapa, índice é 0,8% maior do que o registrado no mesmo mês de 2011

DEDO DE PROSA - Em volta da mesa, tudo se resolve

Crescer convivendo com o lado italiano da família me ensinou o sentido da palavra união

Bem-estar animal: cuidado que gera rendimento

Aumento das exigências do mercado internacional faz cadeias produtivas brasileiras adotarem critérios cada vez mais rígidos para evitar sofrimento do animal

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados