VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Segunda-feira, 24 de Julho de 2017
Folha 2
16/09/2014

Coletânea celebra centenário de Lupicínio Rodrigues

Novo álbum reúne canções do compositor na voz de Caetano Veloso, Elis Regina e Maria Bethânia, entre outros 17 artistas

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois
Arquivo FOLHA
Livro em homenagem a Lupicínio Rodrigues mostra a mistura da vida de casado com a boemia

São Paulo - Nesta semana, o cantor e compositor Lupicínio Rodrigues celebraria cem anos. Conhecido como o criador da música de dor de cotovelo, ele ganha homenagem com o lançamento da coletânea "Lupicínio Rodrigues -100 Anos" e com festas em sua cidade natal, Porto Alegre.

A pesquisadora Maysa Chebabi reuniu canções do compositor na voz de Caetano Veloso, Elis Regina (1945-1982) e Maria Bethânia, entre outros 17 artistas. "Não fiquei preocupada com o volume. O acervo da gravadora concentra um grande time de intérpretes de Lupicínio, e selecionei as que achava imperdíveis", avalia Maysa.
Além do novo álbum, a prefeitura de Porto Alegre decretou o Ano Cultural de Lupi, com diversas atrações que lembram sua música e suas histórias. "Ele ajudou a colocar o Rio Grande do Sul no mapa da música brasileira. Até então, gaúcho só era lembrado por músicas da região", conta Marcelo Campos, que está preparando o lançamento do livro "Almanaque do Lupi".
O calendário gaúcho também vai abraçar a peça "Vingança - o Musical", da atriz e cantora Anna Toledo, que ficou mais de um ano em cartaz na capital paulista. "Eu sempre tive as canções dele no meu repertório. Lupicínio foi minha primeira escolha para um musical, já que os personagens dele são muito bem desenhados, é fácil você se colocar na pele de cada um deles", conta a atriz.

DOR DE AMOR
Os versos criados por Lupicínio Rodrigues falam sobre a dor de amor, na maioria das vezes, sentidas por ele mesmo. É o que afirma o escritor Mário Goulart, no livro "Lupicínio Rodrigues" (1984).
A obra mostra a sua mistura da vida de casado com a boemia. "Eu escrevi esse livro há 30 anos. Na época, sua música estava sendo lembrada por outros artistas. Eram recentes as gravações de 'Castigo', pela Bethânia, e 'Felicidade', pelo Caetano'."
Para Marcelo Campos estudioso do cantor, o principal fator de seu sucesso foi o jeito popular de falar sobre sentimentos. "Ele tinha a sensibilidade de ir direto ao ponto, era um canto quase falado", avalia.

ELZA SOARES
A cantora Elza Soares, que recentemente fez uma série de shows dedicados ao repertório de Lupicínio Rodrigues, é uma das vozes selecionadas na coletânea em comemoração do seu centenário.
"Fiz muito sucesso ao gravar 'Se Acaso Você Chegasse', mas já cantei diversas outras músicas dele. Lupicínio teve coragem de dizer que amava, que sofria. Ele escrevia sem preconceito em dizer que amar dói. Ele faz parte da história, a nova geração precisa conhecê-lo", diz Elza.
Lupi também cantava, mas acabou sendo mais reconhecido pelas vozes de outros intérpretes. "Já disseram que ninguém cantava as músicas do Lupi como ele mesmo, de um jeito sussurrado, parecido com o que a bossa nova fez depois", diz Mário Goulart, autor do livro "Lupicínio Rodrigues" (1984).
O auge do sucesso do músico aconteceu entre os anos 1930 e 1940. "Nessa época, eram valorizados cantores de voz empostada", diz o autor Marcelo Campos.

Cronologia

1914 - Nasce Lupicínio Rodrigues, em Porto Alegre

1928 - Aos 14 anos, ele compõe o seu primeiro samba-canção, "Carnaval", e já se entrega à vida boêmia

1931 - Para afastar o garoto da vida noturna, o pai o obrigou a se alistar no Exército. Chegou a lutar na Revolução Constitucionalista, de 1932. Mas, em sua carteira, há ao menos uma nota de "foi encontrado dormindo"

1935 - Vence um concurso em Porto Alegre com a canção "Triste História", parceria com o amigo Alcides Gonçalves. Dois anos depois, outra canção: "Cadeira Vazia". Mas os dois rompem a amizade

1938 - Lupicínio tem seu primeiro sucesso nacional, "Se Acaso Você Chegasse", gravada por Cyro Monteiro (1913-1973). Nos anos 60, a canção foi regravada por Elza Soares

1947 - "Nervos de Aço" é gravada por Francisco Alves (1898-1952). O sucesso atravessa o Brasil

1949 - Casa-se com Cerenita Quevedo, que adota a sua filha, Teresa, deixada por Juracy de Oliveira, de quem havia ficado viúvo
Anos 1960 - Começa a perder espaço para o rock, pela Tropicália e pela Jovem Guarda

Anos 1970 - É redescoberto por artistas da época, como Caetano Veloso, que regrava "Felicidade"

1974 - Morre em Porto Alegre, aos 59 anos, por insuficiência cardíaca agravada pela diabetes e pela tromboflebite

Fonte: Livro "Lupicínio Rodrigues", de Mário Goulart

Quem Canta?

Confira os destaques da coletânea "Lupicínio Rodrigues - 100 Anos"

- "Nervos de Aço", Paulinho da Viola

- "Esses Moços (Pobres Moços)", Gilberto Gil

- "Cadeira Vazia", Elis Regina

- "Exemplo", Angela Maria e Cauby Peixoto

- "Felicidade", Caetano Veloso (com trechos de "Luar do Sertão")

- "Se o Acaso Chegasse", Elza Soares

- "Nunca", Beth Carvalho

- "Vingança", Dóris Monteiro.
Fabiana Schiavon
Folhapress
NOTÍCIAS RELACIONADAS
CONTINUE LENDO

Encontros com escritores

Domingos Pellegrini, Carlos Henrique Schroeder e Mário Araújo conversam com o público hoje na Semana Literária do Sesc de Londrina

BEM DITO

Maiúsculas ou minúsculas?

PRESERVAÇÃO AMBIENTAL - Aprendendo com a natureza

Programa Embrapa & Escola, realizado há 20 anos, promove conhecimento ecológico baseado em atividades práticas e de observação

PALAVRA DE ESTUDANTE

Você gostou de conhecer o Programa Embrapa & Escola?

Qualidade reconhecida

Escola Municipal de Dança de Ibiporã garante vaga para festival na Itália, em 2015; resultado foi obtido no Festival do Mercosul, na Argentina

Amor à arte

Em "Boogie Oogie", João Vithor Oliveira se envolve com a década de 1970 para compor Serginho

LEITURINHA - Muito além das princesas

"Minimaginário de Andersen" reúne contos de fadas do escritor Hans Christian Andersen com personagens humildes

Assine a Folha de Londrina
EDITORIAS
PolíticaGeralMundoCidadesEconomiaEsporteFolha 2OpiniãoFolha MaisEleições 2016Índice de Notícias
SEÇÕES
ChargeColunistasIndicadoresTempoHoróscopoEdição DigitalGaleria de FotosClassificadosCadernos EspeciaisPromoçõesLoteriasVídeos
SEMANAIS
Folha GenteCarro & CiaImobiliária & CiaSaúdeEmpregos & ConcursosFolha CidadaniaNorte PioneiroMercado DigitalFolha RuralEspecialCozinha & Sabor
CLASSIFICADOS
VrumLugar CertoFolha ClassificadosDiversos
SERVIÇOS
ComercialArquivoCapa do ImpressoExpedienteFale ConoscoClube do AssinanteAviso LegalPolítica de PrivacidadeTrabalhe ConoscoQuem SomosGuia GastronômicoAssine Já!
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados