VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso gratuito ao
conteúdo Folha de Londrina
   ou   
para ter acesso ao melhor conteúdo do Estado.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Terça-feira, 30 de Agosto de 2016
Esporte
12/08/2016
BOXE

Robson Conceição chega à semifinal e garante ao menos o bronze

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois
Fernando Frazão/ Agência Brasil
Fernando Frazão/ Agência Brasil

Robson Conceição garantiu, nesta sexta-feira, a quarta medalha do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio. O baiano, de 27 anos, está classificado para as semifinais do peso leve (até 60kg) no boxe e, na pior das hipóteses, ficará com o bronze. A certeza do pódio veio com a vitória sobre Hurshid Tojibaev, do Usbequistão, dono do cinturão da APB, a liga semi-profissional da Associação Internacional de Boxe. A semifinal, no domingo, às 12h30, será contra o cubano Lazaro Jorge Álvarez, principal nome da categoria.

Ricardo Chicarelli
Ricardo Chicarelli


Dominando o centro do ringue e tomando a iniciativa, Robson aproveitou o barulho que a torcida fazia ao seu favor no Pavilhão 6 do Riocentro e venceu o primeiro round no entender dos três juízes. No segundo assalto, o usbeque foi mais agressivo, mas levou duros golpes no contra-ataque. O brasileiro era mais preciso e parecia não desperdiçar energia. Quando soltava a mão, tinha endereço certo.

Os árbitros não tiveram dúvida da vitória de Robson. Novamente os três viram 10 a 9 para o brasileiro, que só perderia a luta no terceiro e último assalto se fosse ao chão. O baiano, porém, castigou Tojibaev e garantiu a medalha com só um árbitro entendendo que ele perdeu o round.

A semifinal será contra o cubano Lazaro Jorge Álvarez, tricampeão mundial e ouro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto (Canadá), no ano passado. Ele fez a preliminar da luta do brasileiro, passando como um trator pelo norte-americano Carlos Balderas Jr. Robson vinha de vitória na estreia contra Anvar Yunusov, do Tajiquistão. A luta, na terça, durou só um round, com o rival desistindo no primeiro intervalo.

A campanha de Robson no Rio confirma a retomada do boxe amador brasileiro, que desde 2010 vem conquistando medalhas em Mundiais e Olimpíadas. O próprio baiano vinha de prata na edição de 2013 do Mundial, disputado no Casaquistão, e bronze no ano passado, no Catar. Ele ainda é bicampeão do Campeonato Continental (o Pan-Americano do boxe), tendo vencido Álvarez na final do ano passado.

No Rio, Robson faz suas últimas lutas como amador. Ele nunca escondeu que tem o sonho de ser campeão mundial profissional, mas esperou até a Olimpíada para fazer essa migração. Everton Lopes e os irmãos Yamaguchi e Esquiva Falcão fizeram a transição durante o ciclo olímpico, deixando desfalcada a equipe que viria ao Rio.

Robson é mais um pupilo de Luiz Dórea, que esteve em seu córner no duelo desta tarde. O treinador, um dos grandes do MMA no século, trabalhou, entre outros, com o ex-campeão mundial Acelino "Popó" Freitas, com o campeão mundial amador Everton Lopes - que agora se arrisca no profissional -, e com Adriana Araújo, bronze em Londres-2012.

A boxeadora, aliás, lutou pouco antes e não passou da primeira rodada da categoria leve. Adriana, que fez uma campanha pré-olímpica muito discreta, perdeu logo na estreia para a finlandesa Mira Potkonen, em decisão dividida dos árbitros. Ela saiu do ringue inconformada com o resultado, alegando que venceu a luta.

MAIS CHANCES - O Brasil ainda tem outras cinco chances de medalha no boxe. O galo Robenilson de Jesus e o meio-médio ligeiro Joedison Teixeira estrearam com vitória e estão nas oitavas. O mosca Julião Neto faz sua primeira luta no sábado, enquanto o pesado Juan Nogueira já foi eliminado.

O mosca-ligeiro Patrick Lourenço era um dos candidatos a medalha e caiu na estreia, mas seu resultado foi compensado por outro boxeador do Vidigal, o meio-pesado Michel Borges, que no domingo encara o tricampeão mundial Julio de La Cruz, cubano, em luta que também já vale medalha.

No feminino, a peso médio Andreia Bandeira estreia no domingo contra Atheyna Bylon, do Panamá, campeã mundial em uma categoria abaixo. O confronto é válido pelas oitavas de final. As duas se enfrentaram duas vezes recentemente, no Mundial e no Campeonato Continental, com uma vitória para cada lado.
Agência Estado
Continue lendo
17
Continue Lendo
Assine a Folha de Londrina
EDITORIAS
PolíticaGeralMundoCidadesEconomiaEsporteFolha 2OpiniãoÍndice de Notícias
SEÇÕES
ChargeColunistasIndicadoresTempoHoróscopoEdição DigitalGaleria de FotosClassificadosCadernos EspeciaisPromoçõesLoterias
SEMANAIS
ReportagemFolha GenteCarro & CiaImobiliária & CiaSaúdeEmpregos & ConcursosFolha CidadaniaNorte PioneiroCasa & ConfortoMercado DigitalFolha da SextaFolha Rural
CLASSIFICADOS
VrumLugar CertoFolha ClassificadosDiversos
SERVIÇOS
ComercialArquivoCapa do ImpressoExpedienteClube do AssinanteFale ConoscoAviso LegalPolítica de PrivacidadeTrabalhe ConoscoQuem SomosGuia GastronômicoAssine Já!
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados