VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Esporte
13/09/2017
DOR DE CABEÇA

Tubarão sofre com bolas alçadas, mas Dirceu garante "bateria antiaérea" para evitar gols

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Gustavo Carneiro
Gustavo Carneiro - Nas últimas sete partidas, LEC sofreu 13 gols, sendo oito em cruzamentos
Nas últimas sete partidas, LEC sofreu 13 gols, sendo oito em cruzamentos


A grande fase que o Londrina atravessa só não é perfeita por causa da dor de cabeça provocada pelas bolas aéreas nas últimas partidas do Campeonato Brasileiro. A promessa é de muito trabalho para amenizar os erros e acabar com esta enxaqueca.
PUBLICIDADE

Nem mesmo a sequência de quatro vitórias seguidas – duas pela Primeira Liga e duas pela Série B – apagou as dificuldades defensivas do time em jogadas de bolas paradas alçadas para a área. Nas últimas sete partidas, o LEC sofreu 13 gols, sendo oito em cruzamentos contra a meta alviceleste. O Tubarão tomou gols assim duas vezes contra o Guarani, três contra o Internacional, uma diante do Luverdense e outras duas perante o Ceará.

"Temos que diminuir a margem de erros, independentemente de qual for. A maioria dos últimos gols foram desta forma e por isso é inevitável e tocar neste assunto. A receita é trabalhar muito. Tenho certeza que as coisas vão se encaminhar", afirmou o zagueiro Dirceu.

O defensor alviceleste fez questão de ressaltar que nos dois gols do Ceará é preciso dar méritos também para a qualidade do adversário, mas que o time precisa mesmo ter mais atenção neste tipo de lance. "Bola parada é atenção e pequenos detalhes fazem a diferença. Precisamos diminuir os erros para buscar as vitórias sem tanto sofrimento".

E o sofrimento só não tem sido maior porque o ataque tem feito a diferença e garantido vitórias importantes. Se tem a terceira pior defesa da Série B, com 32 sofridos, o ataque alviceleste é o mais positivo e já balançou as redes 36 vezes. Só o Grêmio, na Série A, marcou mais que o Tubarão. O tricolor gaúcho fez 40 gols.

"Se pudesse escolher em continuar tomando gols de bola parada e ganhar os jogos não teria problema nenhum em preferir seguir desta forma", falou em tom de brincadeira o zagueiro. "O que me dá uma segurança muito grande é que não estão conseguindo entrar e nem infiltrar e tabelar facilmente na nossa defesa".

ESCALAÇÃO
No primeiro trabalho com bola da semana, na tarde de terça-feira (12), o técnico Claudio Tencati escalou Rafael Gava no lugar do volante Jardel, que está suspenso com o terceiro cartão amarelo e não enfrentará o Paraná no sábado (16). Nas demais posições, o treinador manteve a formação. O time titular treinou com César; Reginaldo, Édson Silva, Dirceu e Ayrton. Germano, Rômulo, Rafael Gava e Celsinho. Carlos Henrique e Artur. A delegação alviceleste viaja na tarde de quinta-feira (14) para Curitiba. O confronto contra o tricolor será às 19h, na Vila Capanema.

"O jogo tem um aspecto especial pela rivalidade e, sobretudo, pelo bom momento dos dois times. Sobre o resultado ninguém pode afirmar, mas que será um grande jogo isso eu tenho certeza", cravou o zagueiro Dirceu.
Lucio Flávio Cruz
Reportagem Local
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO

Santos encara 'carrasco' de brasileiros

Peixe faz primeira partida no Equador contra o Barcelona, que eliminou o Palmeiras e surpreendeu o Botafogo na fase de grupos

VEM PUNIÇÃO

Parabéns aos machões do Estádio do Café

Briga na arquibancada no jogo contra o Ceará leva LEC ao STJD

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados