VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Esporte
COXA NA SÉRIE B

Coritiba é rebaixado e Chapecoense garante vaga na Libertadores

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Heuler Andrey/Dia Esportivo/Estadão Conteúdo
Heuler Andrey/Dia Esportivo/Estadão Conteúdo - Torcida atleticana comemora o sofrimento do arquirrival na vitória sobre o Palmeiras na Arena da Baixada
Torcida atleticana comemora o sofrimento do arquirrival na vitória sobre o Palmeiras na Arena da Baixada


Em um jogo especial e emocionante para a Chapecoense, marcando um ano do trágico acidente aéreo na Colômbia que vitimou 71 pessoas, o time catarinense venceu de virada o Coritiba por 2 a 1, neste domingo, na Arena Condá, em Chapecó (SC), e encerrou o Campeonato Brasileiro na oitava colocação, com 54 pontos.
PUBLICIDADE

Assim, no ano em que precisou se reconstruir após a tragédia, a Chapecoense assegurou a sua classificação à fase preliminar da Copa Libertadores. Há 10 jogos sem perder, o time catarinense ainda fez a melhor campanha em sua história do Brasileirão.

Contrastando com a comemoração da Chapecoense, houve muita tristeza do lado paranaense. Com sua terceira derrota seguida, o Coritiba foi rebaixado para a Série B. Ficou em 17.º com 43 pontos, igual ao Vitória, que perdeu neste domingo para o Flamengo, por 2 a 1, em Salvador, mas que se salvou pelo saldo de gols: -8 a -9.

Depois de lutar nas últimas seis temporadas contra o rebaixamento, desta vez o Coritiba não conseguiu evitar o retorno à Série B. É a terceira vez que o time cai na era dos pontos corridos - desceu também em 2005 e em 2009.

A emoção dominou os jogadores da Chapecoense logo na chegada ao estádio, quando viram o túnel repleto de imagens do grupo que se acidentou na Colômbia. "Tomara que a gente feche a temporada com chave de ouro", comentou o técnico Gilson Kleina, que vestiu uma camisa com o nome do ex-técnico Caio Júnior, morto em Medellín.

Na entrada em campo, alguns mascotes eram filhos de vítimas do acidente aéreo, que nesta semana completou um ano. O radialista Rafael Henzel, um dos sobreviventes, usou uma camisa com os nomes de todos os jogadores mortos.

Mas nem bem o jogo começou e Gilson Kleina reclamou que o seu time estava sonolento. Apesar de Reinaldo exigir boa defesa de Wilson, em falta cobrada aos seis minutos, o Coritiba iniciou melhor e abriu o placar aos 13: o atacante Kléber recebeu na frente da área, levantou a cabeça e bateu de perna esquerda. A bola entrou no ângulo.

Embora tivesse maior volume de jogo, a Chapecoense finalizava de longe ou tentava levantamentos na área. Ainda assim, empatou. Elicarlos, da intermediária e perto da linha lateral pela direita, tentou cruzar, mas a bola ganhou efeito e encobriu o goleiro Wilson. Ele ainda viu a bola tocar na trave antes de entrar aos 37 minutos.

E, no último lance do primeiro tempo, quase saiu a virada. Canteros lançou e João Pedro, já na linha de fundo, cruzou para a pequena área. Léo apareceu e aliviou quando Artur Caíke iria completar para as redes.

O Coritiba voltou para o segundo tempo com Iago no lugar de Daniel e passou a se desesperar quando soube que o Sport tinha aberto o placar contra o Corinthians, resultado que o rebaixaria. Rapidamente o desespero tomou conta do banco de reservas paranaense.

A Chapecoense aproveitou e fez pressão no ataque. Criou três chances seguidas. Aos 25 minutos, após escanteio de Reinaldo, Wilson espalmou no alto. Em seguida, houve desvio na área e o atacante Kléber apareceu para salvar o gol. No minuto seguinte, em outro escanteio, o goleiro paranaense saltou e deu um tapa para aliviar.

Nem a entrada de Keirrison no lugar de Rildo melhorou o poder ofensivo do Coritiba. Aos poucos já se percebia a aflição dos jogadores, dentro e fora de campo. Aos 46 minutos, Apodi arriscou e a bola explodiu no travessão. E, já aos 49, Canteros lançou e Apodi, pressionado por Wilson, deu um toque de leve para Túlio de Melo cabecear para as redes e garantir a Chapecoense na fase preliminar da Libertadores.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE 2 x 1 CORITIBA

CHAPECOENSE - Jandrei; Apodi, Douglas, Fabrício Bruno e Reinaldo; Moisés Ribeiro, Elicarlos (Rodrigo Pelezinho), João Pedro (Nadson) e Canteros; Arthur Caíke e Wellington Paulista (Túlio de Melo). Técnico: Gilson Kleina.

CORITIBA - Wilson; Léo, Thalisson Kelven, Cléber Reis e Thiago Carleto; Jonas, Vitor Carvalho (Anderson), Tiago Real e Daniel (Iago); Rildo (Keirrison) e Kléber. Técnico: Marcelo Oliveira.

GOLS - Kléber, aos 13, e Elicarlos, aos 37 minutos do primeiro tempo; Túlio de Melo, aos 49 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - João Pedro, Fabrício Bruno e Reinaldo (Chapecoense); Thiago Carleto (Coritiba).

ÁRBITRO - Luiz Flávio de Oliveira (Fifa/SP).

RENDA - R$ 346.920,00.

PÚBLICO - 12.913 pagantes.

LOCAL - Arena Condá, em Chapecó (SC).
Agência Estado
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados
HOSPEDADO POR
Hospedado por Mandic