VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Sábado, 24 de Junho de 2017
Esporte
19/06/2017

COPA DAS CONFEDERAÇÕES - Apimentado

Com gol anulado por tecnologia, Portugal não consegue segurar vantagem e México arranca empate nos acréscimos

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Franck Fife/AFP
Franck Fife/AFP - Chicharito Hernández, estrela da seleção mexicana, não passou em branco na estreia
Chicharito Hernández, estrela da seleção mexicana, não passou em branco na estreia

Kazan - Logo no segundo jogo da Copa das Confederações, o uso da tecnologia teve papel fundamental e custou um gol a Portugal, que acabou ficando no empate em 2 a 2 com o México, neste domingo (18), em sua estreia no Grupo A da competição disputada na Rússia. Os mexicanos ficaram duas vezes atrás no marcador e conseguiram a igualdade. O segundo gol do time da América Central saiu aos 46 do segundo tempo. O resultado faz com que as duas seleções somem um ponto e fiquem na segunda colocação da chave, atrás da Rússia, que fez 2 a 0 sobre a Nova Zelândia no sábado (17).

Aos 21 minutos de jogo, o árbitro de vídeo entrou em ação. Após uma bola alçada na área, Nani tocou e Pepe desviou para o gol. Enquanto os portugueses comemoravam, o juiz argentino Néstor Pitana foi avisado de uma irregularidade. Após uma revisão que não durou nem um minuto, ele anulou o gol, pois na origem do lance havia quatro portugueses em posição irregular. Contudo, não demorou muito para Portugal, que já dominava a partida, chegar ao seu gol. Cristiano Ronaldo se aproveitou de uma falha de Hector Moreno, ganhou na velocidade e, mesmo após perder a passada, conseguiu um passe espetacular para Quaresma, que limpou o goleiro Ochoa e tocou para o fundo da rede.

Portugal dominava completamente e só não foi ao intervalo em vantagem por causa de um erro de Raphael Guerreiro. Ao tentar cortar uma bola, ele deixou passar e Vela conseguiu um cruzamento na medida para Chicharito Hernández cabecear e deixar o marcado em 1 a 1.

No segundo tempo, o jogo voltou a ficar truncado, com os dois goleiros sendo pouquíssimos exigidos. Nem as seis alterações feitas por Fernando Santos e Juan Carlos Osorio surtiram efeito para alterar o panorama do duelo. Isso até os dez minutos finais. André Silva, que entrou aos 37, mudou o jogo e deu mais gás ao ataque lusitano. Em sua primeira aparição, exigiu uma defesa espetacular de Ochoa após uma cabeçada no cantinho. Depois, teve participação no lance que originou o gol de Cedric aos 41. O lateral-direito aproveitou uma bola sobrada na área e chutou sem chance para Ochoa. O México, porém, não se entregou e foi de novo buscar o empate. Ele veio aos 46 em uma cabeçada indefensável de Hector Moreno após cruzamento da direita.
Fábio Aleixo
Folhapress
Continue lendo
16
Continue Lendo
Assine a Folha de Londrina
EDITORIAS
PolíticaGeralMundoCidadesEconomiaEsporteFolha 2OpiniãoFolha MaisEleições 2016Índice de Notícias
SEÇÕES
ChargeColunistasIndicadoresTempoHoróscopoEdição DigitalGaleria de FotosClassificadosCadernos EspeciaisPromoçõesLoterias
SEMANAIS
Folha GenteCarro & CiaImobiliária & CiaSaúdeEmpregos & ConcursosFolha CidadaniaNorte PioneiroMercado DigitalFolha RuralReportagemCozinha & Sabor
CLASSIFICADOS
VrumLugar CertoFolha ClassificadosDiversos
SERVIÇOS
ComercialArquivoCapa do ImpressoExpedienteClube do AssinanteFale ConoscoAviso LegalPolítica de PrivacidadeTrabalhe ConoscoQuem SomosGuia GastronômicoAssine Já!
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados