VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Economia
05/11/2014
Declaração

Saiba o que muda com o rascunho do Imposto de Renda

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Desde segunda-feira (3), a Receita Federal disponibilizou um aplicativo para que o contribuinte já possa começar a elaborar um rascunho da declaração IRPF 2015, neste ano de 2014. Apesar do ano já estar no final, será possível inserir as informações tributárias que possuírem, para facilitarem a preenchimento no próximo ano. A partir de 2015, durante todo o ano, quem declara o imposto de renda poderá preencher a declaração à medida que os fatos acontecerem.
PUBLICIDADE

"A novidade é bastante interessante, pois, quem gosta de se anteceder poderá já preencher a declaração com os lançamentos, simulando o preenchimento no programa gerador da declaração IRPF (PGD IRPF 2015), que será liberado para os contribuintes só em março de 2015. Lembrando que as informações do Rascunho IRPF poderão ser utilizadas para a declaração de 2015, com uma simples importação de dados", explica o consultor de imposto de renda da Confirp Consultoria Contábil, Rodrigo Zaparoli de Melo.

O aplicativo da Receita Federal pode ser instalado nos microcomputadores ou nos dispositivos móveis, como smartphone e tablets por meio do novo APP IRPF. "Essa novidade reforça o que sempre informamos aos nossos clientes, de que a declaração não deve ser feita apenas quando abre o período de entrega, mas sim durante todo ano, já possibilitando que se tenha uma prévia de qual melhor tipo de declaração a ser enviada e dos dados a serem inseridos", explica Zaparoli.

Contudo, o consultor da Confirp alerta que deve haver cuidado nas informações que são inseridas nesse rascunho. "Não se sabe qual será o acesso e utilização da Receita às informações que forem passadas a esse rascunho, assim, quando se mexe muito nos dados ou altera fazendo projeções, esses poderão ser considerados pelo governo no futuro".

Por fim, Zaparoli lembra que a novidade reduzirá as dificuldades, mas ressalta que se deve ter cuidado para não jogar comprovantes fora após a inserção no rascunho. "Continuará sendo fundamental uma análise posterior das informações, assim, é imprescindível a guarda correta dos documentos comprobatórios. Os contribuintes devem ter esses disponíveis por, no mínimo seis anos", finaliza.
Redação Bonde com assessoria de imprensa
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO

Produção industrial cai 0,2% em setembro

No ano, resultado acumula queda de 2,9%; em 12 meses, a redução é de 2,2% no País

Pagamento do 13º salário deve injetar R$ 8,5 bilhões no Paraná

No País, recursos do benefício somam cerca de R$ 158 bilhões, volume 10,5% maior que no ano passado

Londrinatal terá prêmios para consumidor, lojista e vendedor

Acil lança campanha que promoverá sorteio de três carros e mais de R$ 65 mil em vale-compras

Escassez de chuva em outubro preocupa agricultores

Clima seco atrasou o plantio de soja, milho e feijão e pode afetar o potencial produtivo da safra 2014/15

Mercado de grãos ensaia reação de preços

Preço da soja subiu 3,2% em outubro

Emprego

Emprego cresce 4,3% em outubro, segundo a FGV

Indicador apresenta uma melhora que não era vista a muito tempo porém ainda deve ser confirmado nos próximos meses

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados