VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso gratuito ao
conteúdo Folha de Londrina
   ou   
para ter acesso ao melhor conteúdo do Estado.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Sábado, 24 de Setembro de 2016
Economia
16/05/2013

Cooperados querem saída dos diretores da Corol

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Descontentes com a administração da Corol Cooperativa Agroindustrial, um grupo ligado a sindicatos rurais convocou uma Assembleia Geral Ordinária (AGO) para o dia 28, no Rolândia Country Club, para discutir a destituição da diretoria da empresa, entre outras questões. Eles contestam a forma como as negociações da parceria com a Cooperativa Cocamar são dirigidas e reclamam que o presidente da Corol, Eliseu de Paula, não convocou uma AGO para fechar o balanço de 2012, como deveria ter sido feito ainda no primeiro trimestre. A cooperativa contava com mais de R$ 300 milhões em dívidas até o ano passado.
Outra reclamação dos produtores é o fato de o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) ter começado a executar Notas de Crédito Rural (NCRs), emitidas por associados como garantia de crédito concedido à Corol. O grupo quer que administradores provisórios renegociem as dívidas.
Sem a assembleia, exigida por lei, os associados afirmam que recolheram a assinatura de 20% dos produtores para chamar a AGO. O presidente da Corol critica a forma como a reunião foi convocada e diz que os cooperados foram usados pela Cocamar, para fazer pressão pela saída dele da entidade. "É inócuo e um erro técnico lamentável. Esse trabalho é da Cocamar sobre os sindicatos patronais", afirma De Paula, sobre o parceiro que arrendou equipamentos da Corol por 15 anos.
Eliseu de Paula endureceu o discurso e afirmou que a cooperativa de Maringá usou a Corol para entrar na região, ao criar expectativa de que poderia assumir a estrutura e as dívidas da empresa. "A Cocamar quer que a Corol vá à liquidação e é o pior que pode acontecer para o cooperado", conta. Ele diz que a C.Vale, de Palotina, tem interesse em assumir a Corol, caso a Cocamar deixe a região.
A diretoria da Cocamar foi procurada na tarde de ontem para responder às declarações e, por meio de nota, informou que não vai se pronunciar sobre o assunto. A assessoria da C.Vale também não quis se manifestar sobre possível interesse na Corol.

Clima azedo
Os cooperados que se rebelaram publicaram edital com a convocação na edição de anteontem da FOLHA. Na mesma edição do jornal, o presidente da Corol também chamou uma AGO para as 12 horas do dia 13 de junho, na sede da Associação Recreativa e Cultural de Rolândia, para tratar, inclusive, da eleição do novo conselho diretor. Questionado se quer a reeleição, De Paula não foi preciso. "Não quer dizer que seja (candidato), mas estou correndo fileiras para seguir em busca de soluções para a Corol."
Vice-presidente do Sindicato Rural de Rolândia e produtor da Corol, Daniel Rosenthal não quis entrar em detalhes sobre a questão. Ele confirmou, porém, que o grupo esteve em reunião informal com De Paula, mas que entregou a convocação para a AGO e foi embora, em protesto.
Fábio Galiotto
Reportagem Local
Continue lendo
14
Continue Lendo
Assine a Folha de Londrina
EDITORIAS
PolíticaGeralMundoCidadesEconomiaEsporteFolha 2OpiniãoFolha MaisEleições 2016Índice de Notícias
SEÇÕES
ChargeColunistasIndicadoresTempoHoróscopoEdição DigitalGaleria de FotosClassificadosCadernos EspeciaisPromoçõesLoterias
SEMANAIS
ReportagemFolha GenteCarro & CiaImobiliária & CiaSaúdeEmpregos & ConcursosFolha CidadaniaNorte PioneiroCasa & ConfortoMercado DigitalFolha da SextaFolha Rural
CLASSIFICADOS
VrumLugar CertoFolha ClassificadosDiversos
SERVIÇOS
ComercialArquivoCapa do ImpressoExpedienteClube do AssinanteFale ConoscoAviso LegalPolítica de PrivacidadeTrabalhe ConoscoQuem SomosGuia GastronômicoAssine Já!
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados