VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Cozinha & Sabor
11/08/2017

O Pará no prato

Gastronomia paraense tem fortes influências indígenas misturadas com traços portugueses e africanos

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Fotos: Shutterstock
Fotos: Shutterstock - Pato ao tucupi: comida típica paraense, é também uma das mais populares e procuradas pelos turistas
Pato ao tucupi: comida típica paraense, é também uma das mais populares e procuradas pelos turistas


A novela das oito "A Força do Querer", da autora Glória Perez, tem Isis Valverde como uma de suas protagonistas. A personagem Ritinha, bem como outros, vem da cidade fictícia de Parazinho, no interior do Pará e, desde que a folhetim da Rede Globo iniciou, o núcleo de lá mostra a cultura do estado com suas danças, folclore, músicas, roupas, sotaque e expressões típicas. Algumas cenas foram gravadas na região e deram uma amostra das belezas naturais e de toda a diversidade existente. Mas, sem dúvidas, a gastronomia é um dos pontos fortes: saborosa, intensa, cheia de temperos e ingredientes locais que começam a ganhar o país.
PUBLICIDADE

Considerada uma das cozinhas mais autênticas e saborosas do Brasil, a gastronomia do Pará se destaca por apresentar pratos com influências indígenas misturadas com traços portugueses e africanos. Grande parte das receitas levam ingredientes regionais oriundos da Amazônia, seja fauna ou flora. Dentre eles, peixes, camarão, caranguejo, marisco, caças, pato, caças, pimentas, além das várias ervas na qual se inclui o famoso jambu, cujas folhas e flores quando mastigadas dão uma sensação de formigamento nos lábios e na língua devido à sua ação anestésica.

Das farinhas retiradas da mandioca, as mais conhecidas são farinha d’água e goma de tapioca, com as quais são feitas farofas, mingaus, pães e doces. A tapioca, inclusive, ganhou o sul do país no seu formato em beiju, aqui chamada de tapioca, uma pequena panqueca que pode levar vários tipos de recheio. Lá, no entanto, é muito consumida apenas com manteiga ou coco ralado no café da manhã, acrescentando-se, ainda, geleia e queijos.

Há, também, o tucupi, caldo amarelo extraído da mandioca, acompanhando carne, peixe, mariscos ou puro. Uma das formas mais encontradas desse caldo é no "pato no tucupi", que leva pato, tucupi e jambu. Depois de assada, a carne de pato é cortada e servida no tucupi com o jambu, acompanhado de arroz branco e farinha de mandioca.

Tamanha a variedade de pratos e receitas, difícil é escolher o mais saboroso. Porém, existem aqueles mais conhecidos, como o "tacacá", uma espécie de mingau cuja mistura leva tucupi, goma de tapioca cozida, camarão seco e jambu. Vem servido em pequenas cuias e vendido em praticamente todas as esquinas das cidades. Além destes, destaque para a maniçoba, a feijoada paraense, feita de maniva (folhas de mandioca), moída e cozida por sete dias, onde acrescentam-se carnes suínas defumadas.

As sobremesas paraenses merecem um capítulo à parte, porque são feitas, em sua maioria, com frutas, principalmente vindas da Amazônia, como açaí, guaraná, cupuaçu, pupunha. Existem também as regionais, com sabor bem peculiar, como muruci, bacuri, taperebá, sapotilha.

Tacaca: um espécie de mingau que também leva o tucupi
Tacaca: um espécie de mingau que também leva o tucupi


Receita de Tacacá

(rendimento 6 porções)
Ingredientes:
4 xícaras (chá) de água
1/2 xícara (chá) de polvilho azedo (ou goma de mandioca)
1 colher (chá) de sal
500 g de camarão salgado (seco)
4 folhas de chicória
4 dentes de alho bem amassados
3 pimentas-de-cheiro
2 maços de jambu
2 litros de tucupi

Modo de preparo
Coloque o tucupi em uma panela com o alho bem amassado, o sal, a chicória e as pimentas. Leve ao fogo. Quando começar a ferver, abaixe o fogo, tampe a panela e deixe cozinhar por 30 minutos aproximadamente. Simultaneamente em outra panela, cozinhe o jambu até ficar tenro. Retire do fogo, escorra e reserve. Lave bem os camarões e leve-os ao fogo em uma panela com 4 xícaras de água. Deixe ferver por aproximadamente 5 minutos. Retire a cabeça e a casca. Em uma panela, misture o polvilho com a água dos camarões, leve ao fogo e mexa até obter um mingau. Sirva em uma cuia com uma concha de tucupi, um pouco do mingau, algumas folhas de jambu e os camarões.

Fonte: www.tudogostoso.com.br

Marian Trigueiros
Reportagem Local
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados
HOSPEDADO POR
Hospedado por Mandic