VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Cidades
14/11/2017
ABRAÇO NO HC

Servidores e pacientes protestam no Hospital de Clínicas da UEL

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois


PUBLICIDADE

Servidores e pacientes do AEHU (Ambulatório de Especialidades do Hospital Universitário), o Hospital de Clínicas da UEL, realizaram nesta terça-feira (14) uma manifestação para cobrar do governo do Estado a contratação de funcionários para o hospital. A unidade foi inaugurada em 1994 e, segundo os servidores, o quadro de trabalhadores vem sofrendo uma redução gradual, tendo se agravado nos últimos anos, enquanto o número de pacientes só aumenta. Hoje, o HC estaria funcionando com 50 vagas em aberto e algumas áreas só não suspenderam o atendimento em razão da terceirização dos serviços.

Um dos setores mais críticos, apontam os servidores, é o de assistência social. Em 1994, quatro assistentes sociais faziam o atendimento aos pacientes. O número chegou a 12, mas hoje são cinco e em breve, com as aposentadorias que estão por vir, restarão apenas duas profissionais. "Tem concurso feito, assim como para o preenchimento da maioria das vagas em aberto no hospital, mas falta a homologação e nomeação dos aprovados, o que depende exclusivamente do governo do Estado. O problema da falta de funcionários é histórico, mas está mais acirrado agora", disse Argéria Maria Serraglio Narciso, uma das assistentes sociais do HC que cumpre licença-prêmio e está prestes a se aposentar.

Na área de higiene hospitalar, apontam os servidores, eram 42 funcionários em 1994 e hoje restam 15, os motoristas eram cinco e agora ficou apenas um, enquanto no departamento de serviços gerais, que incluem portaria, vigilância, zeladoria e telefonista, a redução foi "drástica". Há 23 anos, quando começou a funcionar, o HC atendia 4.033 pacientes ao mês, demanda que aumentou 73% em mais de duas décadas, somando hoje 6.978 atendimentos mensais, todos pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

CONFIRA A MATÉRIA COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA QUARTA-FEIRA (15) NA FOLHA DE LONDRINA
Simoni Saris
Reportagem local
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO
CARTINHAS

Correios lançam tradicional campanha de Natal; saiba como participar

Correios lançam tradicional campanha solidária com quatro mil cartinhas para serem adotadas pela comunidade

LONDRINA

Usuários reclamam de ampliação na Zona Azul

Estacionamento rotativo na via começou a funcionar na segunda-feira

TECNOLOGIA QUE DESCOMPLICA

Alunos desenvolvem habilidades por meio da robótica

Por meio da robótica, alunos conseguem desenvolver competências e habilidades de disciplinas consideradas difíceis

OBRA DE 450 DIAS

Ippul confirma mudança no trânsito durante construção de viaduto na Dez de Dezembro

Abertura de envelopes da licitação está prevista para o dia 8 de dezembro; conheça as vias alternativas

AGENDE-SE

AGENDE-SE

BODE EXPIATÓRIO

Somos todos Morgenstern

Da disputa entre o ex-compositor e o jovem escritor, depende o futuro da liberdade de expressão no Brasil

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados
HOSPEDADO POR
Hospedado por Mandic