VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Cidades
14/11/2017
RECEIO

Servidores de Cambé temem corte de vale-transporte

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Um comunicado interno despachado pelo Departamento de Recursos Humanos da Prefeitura de Cambé está causando receio em alguns servidores. Segundo o documento, os funcionários que trabalham no município e moram em Londrina receberão, a partir do início de dezembro, apenas um vale-transporte de Londrina para Cambé.
PUBLICIDADE

A decisão foi divulgada em 10 locais, como escolas, postos de saúde e Centros de Referência em Assistência Social (CRAS), onde trabalham os funcionários. Em nota, a assessoria de imprensa da prefeitura disse que a medida será tomada porque as linhas de ônibus de Londrina "passam bem perto das unidades citadas, descartando assim a necessidade do servidor circular na área urbana de Cambé e, consequentemente, receber o vale-transporte para deslocamento dentro da cidade".

Conforme a assessoria, "o benefício não será cortado de ninguém. A medida foi tomada para regularizar a situação de quem está recebendo a mais". A adequação não foi bem recebida pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Cambé (Sindserv). O presidente do órgão, Carlos Mello, adiantou que deve se reunir ainda nesta terça-feira (14) com o setor jurídico para estudar quais providências podem ser tomadas.

Ele estima que aproximadamente 75 servidores da Educação, Assistência Social e Saúde serão afetados. "Estamos tentando uma reunião com a secretária de Administração. Os trabalhadores estão receosos. Se cortarem o vale-transporte, os professores não irão trabalhar", argumentou. Mello esclareceu que o Sindserv pode entrar com uma ação na Justiça para tentar reverter a decisão da prefeitura. "Não descartamos nem paralisar os serviços", finalizou. Hoje, Cambé tem mais de dois mil funcionários.
Rafael Machado
Grupo Folha
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO
CARTINHAS

Correios lançam tradicional campanha de Natal; saiba como participar

Correios lançam tradicional campanha solidária com quatro mil cartinhas para serem adotadas pela comunidade

LONDRINA

Usuários reclamam de ampliação na Zona Azul

Estacionamento rotativo na via começou a funcionar na segunda-feira

TECNOLOGIA QUE DESCOMPLICA

Alunos desenvolvem habilidades por meio da robótica

Por meio da robótica, alunos conseguem desenvolver competências e habilidades de disciplinas consideradas difíceis

OBRA DE 450 DIAS

Ippul confirma mudança no trânsito durante construção de viaduto na Dez de Dezembro

Abertura de envelopes da licitação está prevista para o dia 8 de dezembro; conheça as vias alternativas

AGENDE-SE

AGENDE-SE

BODE EXPIATÓRIO

Somos todos Morgenstern

Da disputa entre o ex-compositor e o jovem escritor, depende o futuro da liberdade de expressão no Brasil

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados
HOSPEDADO POR
Hospedado por Mandic