VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Cidades
11/10/2017

Na reta final para o Enem e o vestibular da UEL

Nas semanas que antecedem as provas, a dica para os candidatos é não extrapolar a rotina de estudos e buscar atividades para controlar o estresse

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Marcos Zanutto
Marcos Zanutto - Nessa contagem regressiva para as provas, é comum os candidatos
Nessa contagem regressiva para as provas, é comum os candidatos "mergulharem" de cabeça nos estudos


A primeira fase do vestibular 2018 da UEL (Universidade Estadual de Londrina) acontecerá no dia 29 de outubro. Logo em seguida, nos dias 5 e 12 de novembro, alunos farão o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Nessa contagem regressiva para as provas, é comum os candidatos "mergulharem" de cabeça nos estudos. No entanto, essa imersão em todo o conteúdo não é a melhor escolha. Para um bom desempenho nas provas é preciso desacelerar nesta reta final.
PUBLICIDADE

Flávia Cabral, professora de língua portuguesa que atua no Curso Saber, em Londrina, comenta que o período requer a manutenção da rotina de estudos, alternando com a prática de atividade física. "Isso ajuda a controlar a ansiedade e o nervosismo, que são os principais causadores do famoso 'branco' na hora da prova. Intercalar os estudos com momentos de relaxamento e lazer são tão importantes quanto dormir bem à noite. O sono é essencial para se concentrar em sala de aula e ajudar na memória", diz.

Candidatos ao vestibular da UEL no curso de Medicina – o mais disputado em todo o sistema (universal e cotas) da instituição - os colegas Tainan Fabbri Scalco, 22, e Mateus Tetsuo Fujita, 18, confirmam que diminuir o ritmo, principalmente na última semana, é uma forma de aliviar a ansiedade. Eles já participaram de outros processos seletivos e acreditam que cada um deve desenvolver um método de estudo.

Enquanto Fujita prefere estudar mais a teoria, Scalco prioriza as revisões com base nas provas de vestibulares passados. Já Natalia Mello, 20, também candidata ao curso de Medicina na UEL, dá foco à resolução de exercícios. "Faço uma média de 80 questões por dia", cita.

Márcia Chiréia, coach pedagógica e coordenadora do curso Prime, conta que muitos candidatos pensam que priorizar os estudos somente nas disciplinas específicas resolve o problema. "É errado. Eles precisam passar pela primeira fase. Então, devem cumprir etapas. Estudar requer escolhas. É importante elencar alguns conteúdos que mais caem e os professores sabem que conteúdo é esse", destaca.

Neste processo, o estudante Henderson Vinícius de Oliveira Santos, 25, recorre à revisão do material que ele mesmo desenvolveu ao longo do ano, com base nas questões de sala de aula, conteúdo online e simulados. Ele é candidato ao curso de Medicina na UFPR (Universidade Federal do Paraná), que também terá a aplicação da prova da primeira fase no dia 29 de outubro.

De olho na mesma vaga, Thayná de Freitas Chaves, 18, conta que prefere retomar a teoria com base nos erros dos exercícios e que tem dado um espaço para o lazer apenas no final de semana. "Para me desligar, tive que estabelecer um horário no sábado, senão eu ficaria o tempo todo estudando", revela.

No dia da prova, Chiréia ressalta que revisar o conteúdo é um "efeito placebo". "Se a gente pensar que essa revisão na véspera ou no dia pode trazer uma certa sensação de segurança, tudo bem, mas não tem magia. Para aliviar a ansiedade e o nervosismo, a dica é trabalhar a respiração e ter tido uma boa noite de sono", aponta.

REDAÇÃO
Considerando que a redação é uma grande preocupação entre os inscritos, seja no vestibular ou Enem, a professora Cabral diz que a prática é essencial, "desde que alguém com conhecimento possa avaliar os textos, justamente para o estudante não reforçar os erros", acrescenta.

Na internet, como há uma imensa oferta de conteúdos, ela ressalta a importância de filtrar as opções. "O site deve ser ou estar vinculado a uma boa instituição", aponta.

Chiréia acrescenta que há sites confiáveis e específicos com propostas de redação, como por exemplo, o Opera10. "Na produção de textos é importante visualizar o que é certo e errado. Além disso, os candidatos podem acessar as redações nota mil do Enem dos anos anteriores, pois trazem comentários interessantes", diz.


Micaela Orikasa
Reportagem Local
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO

Descobrindo sobre a dengue

Jogo interativo busca educar e engajar as pessoas sobre a importância da prevenção e proteção da doença

DIREITO DO CONSUMIDOR

Procon orienta sobre compra de presentes no Dia das Crianças

Em Londrina, fiscalização encontrou irregularidades relativas a brinquedos expostos sem preço

SERVIÇO PÚBLICO

Obras tem ponto de atendimento na região Norte

Praça irá funcionar com a Secretaria de Fazenda de Londrina, na avenida Saul Elkind

Livro de londrinense sobre cogumelos concorre a prêmio

Obra foi elaborada por iniciativa dos pesquisadores indígenas Yanomami, com a colaboração do grupo de pesquisas Cogumelos da Amazônia

ZONA OESTE

Árvore cai e quebra alambrado de quadra esportiva no Jardim Bandeirantes

Além do dano no espaço de lazer, cinco postes de iluminação foram danificados; por meio de requerimentos, moradores pediram retirada do tronco à Sema

OPERAÇÃO PARAÍSO

Polícia desmantela quadrilha que roubava defensivos agrícolas no PR e SP

Investigações perduraram por três meses e começaram após um assalto em uma fazenda; criminosos mais perigosos foram detidos em Londrina

A professora de eternidade

Não é por acaso que Heley e heroísmo começam com a mesma sílaba

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados